Viognier. Uma Joia Rara. Veja Aqui Onde Encontrar

viognier 2

Nativa do Rhône suas características são singulares, amanteigada, untuosa, floral e perfumada, para mim, no quesito aroma, só tem duas sérias concorrentes, as alsacianas  Gewürztraminer e a Pinot Gris.

Esta untuosidade deve-se aos bons índices de álcool e a baixa acidez. Plantados em poucos hectares torna-se um vinho caro, até mesmo para os padrões locais. Aromas de pêssego, tangerina e o famoso toque floral. Podemos classificar seus vinhos em Brancos Frutados e Brancos Aromáticos

Seu berço é Côtie Rotie, no Rhone Norte. Ali nas encostas do rio Rhône em solos graníticos com invernos moderados a fortes e verões quentes com boa regularidade de chuva as vinhas são plantadas em patamares de costas para o norte a fim de proteger os vinhedos dos fortes ventos gelados.

FRANÇA COTIE ROTIE 1

Vinhedos extremos, vejam a foto. 

Para os que não a conhecem em comparação com a Chardonnay, a Viognier tem mais “peso” na boca, em razão de sua característica untuosidade, menos acidez e muito mais aromas. Uma “prima” sua em termos de aromas e paladar é a Torrontés de Salta, Argentina. 

Por último o Château Grillet que é região demarcada dentro da região demarcada de Condrieu. Dali, em apenas 3,5 hectares sai o melhor Viognier que este planeta pode produzir. Rico, charmoso, untuoso e com a especial característica de ser seco e levemente adocicado ao mesmo tempo. Aromas que lembrar pêssego maduro e damasco.

Sua baixa acidez e seus aromas marcantes e imponentes combinam na perfeição com os pratos condimentados. Típicos da alta gastronomia de Lyon, como dito bem pertinho dali. Ou mesmo a culinária oriental como a Thai.

ONDE ENCONTRAR A VIOGNIER FORA DO RHÔNE?

Seu terroir predileto é o de regiões com climas moderados, mesmo no verão, com bons índices de insolação tudo para que tenhamos índices razoáveis de acidez natural. Sendo assim podemos destacar de plano.

ÁFRICA DO SULProcure os produtores de Stellenbosch. Os frios ventos que varrem o vale mantêm as condições ideais para a Viognier.

NOVA ZELÂNDIA: Como sempre falou e brancos e Pinor Noir de elite mundial, falou da Nova Zelândia. Aqui, procure os produtores do sul da ilha norte ou aqueles localizados na ilha sul. Compre sem medo e receio.

ESTADOS UNIDOS: O frio Oregon é garantia, assim como Nova Zelândia, de brancos e Pinor Noir de alta gama. Compre sem medo um Viognier daqui.

CHILE: Vale de Casablanca há poucos quilômetros ao noroeste de Santiago é referência mundial para vinhos cujas uvas adoram climas amenos com boa insolação no verão, como a Viognier.

Tanto Casablanca como a nova fronteira chilena, a Costa Fria, ou Cool Coast localizada entre o Pacífico e a Cordilheira Costeira. Ali onde desemboca a corrente de Humboldt, a mais fria das correntes marinhas e responsável pela riqueza de frutos do mar do Chile e Peru. Hoje vinhos de alta qualidade vêm dali. Prestem atenção em regiões como Paredones no Vale do Rapel bem perto de Apalta.

ARGENTINA: Os locais mais altos do famoso Cordón de Plata como os patamares de Luján de Cuyo onde há condições para excelentes Viognier.

Vimos, então, que trata-se de uma uva muito diferente. Brancos untuosos e aromáticos com acidez moderada. Não a encontraremos em qualquer local. Esta é uma das uvas que viajam mal, muito mal.

HARMONIZAÇÃO

Certamente a culinária Thai e Indiana com seus condimentos mais do que especiais e únicos terá como companhia ideal os vinhos elaborados com a Viognier. Sua média acidez, seus poderosos aromas combinarão muito bem com estes pratos exóticos.

HARMONIZAÇÃO COM CULINÁRIA THAI

Um bom Viognier combina com a voz aveludada de Billie Holliday. 

Um Roteiro para Desvendar o Berço da Syrah e da Viognier

rhone sul

Será que você sabe o que está levando para casa quando compra um vinho do Rhône, França? Digo porque em conversa com amigos vejo que há muita confusão sobre os vinhos da região. A maioria não se dá conta de que são muito diferentes os vinhos do norte e do sul. Eu diria que de igual só o nome Rhône.

Há vinhos daqui em todas as prateleiras de supermercados do Brasil e do mundo. Há vinhos nos mais diversos estilos, uvas e qualidade. Há para todos os gostos e bolsos. 

Se tiver vontade de conhecer o berço de uvas muito interessantes como a Syrah, Viognier, Cinsault, Grenache e outras menos conhecidas, como a Roussane e Marsanne temos que descobrir as pequenas vilas, vinhedos e produtores do Rhône, usando, necessariamente, uma motinho como meio de transporte. Não há nada mais libertador para explorar esta fantástica região do centro sul da França.

Continuar lendo

VIOGNIER – A SENHORA ABSOLUTA DO RHÔNE NORTE

UVA VIOGNIER

Nativa do Rhône suas características são singulares, amanteigada, untuosa, floral e perfumada, para mim, no quesito aroma, só tem duas sérias concorrentes, as alsacianas  Gewürztraminer e a Pinot Gris.

Esta untuosidade deve-se aos bons índices de álcool e a baixa acidez.  Plantados em poucos hectares torna-se um vinho caro, até mesmo para os padrões locais.

Em solos graníticos com invernos moderados a fortes e verões quentes com boa regularidade de chuva as vinhas são plantadas em patamares de costas para o norte a fim de proteger os vinhedos dos fortes ventos gelados.

Continuar lendo