5 Imperdíveis Lugares na França

 

FRANÇA ALSÁCIA 3

Começamos apreciando estes lindos vinhedos na Alsácia. 

Daqui eu os levarei a um passeio virtual para cinco lugares imperdíveis na França. Principalmente, para quem gosta de vinho e gastronomia. São lugares variados, de norte a sul e de leste a oeste deste que é um dos principais países produtores de vinho.

São locais épicos com vinho e gastronomia muito diferentes entre si. E só escolher.

Continuar lendo

Anúncios

Chablis Uma Outra Borgonha

chablis-4

Vinhedos de Chardonnay com a vila de Chablis ao fundo, uma pequena Comuna cerca de 100 Km a noroeste de Dijon (extremo norte da Borgonha).

A Chardonnay nativa da Borgonha. A uva branca mais plantada no mundo pela sua versatilidade e qualidade. Nos brinda com vinhos doces, tranquilos e é a coluna vertebral dos espumantes e champagnes.

É a casta branca mais apreciada e plantada no mundo todo. Para muitos a única uva branca que conhecem e gostam. Normal, se pensarmos que a cada 10 vinhos brancos consumido no mundo agora 7 sejam feitos desta casta.

Continuar lendo

A Borgonha Tinta – o Reinado da Pinot Noir

franca-borgonha-nuit

Estes lindos vinhedos na Côte D’Or com Nuits-Saint-Georges. Ponto de partida para conhecer o berço da Pinot Noir. 

Veremos com calma nesta publicação quais os melhores sítios para esta casta. Aqui repito o recado dado na publicação anterior. Todos os amantes da bebida de Baco e que gostam da Pinot Noir devem compartilhar um vinho de estirpe para entender até onde chega esta uva.

A Pinot Noir manhosa como só ela. Dizem que Deus criou a Cabernet Sauvignon e o diabo a Pinot Noir pela canseira que dá nos produtores. Mudanças climáticas não são bens vindas.

Utilizada no corte clássico do champagne com a prima Pinot Meunier e a Chardonnay. Espalhada pelo mundo, mas é aqui que alcança o esplendor.

Vamos conhecê-la um pouco mais?

Continuar lendo

A Côte D’Or dos Grandes Chardonnay

chardonnay-cote-dor

Esta paz que nos transmite esta foto com os suaves declives da Côte D’Or. Destes vinhedos sai um dos melhores estilos dos Chardonnay do planeta.

Veremos com calma nesta publicação o quarteto de ouro da Côte D’Or sul. Chassagne-Montrachet aí da foto é um destes sítios. Vou repetir cada um dos enófilos ou amantes da bebida de Baco deve compartilhar um Chardonnay de estirpe da Borgonha para entender até onde chega esta casta.

A Chardonnay de múltiplos usos, desde vinhos de sobremesa até a coluna dorsal dos champagnes, espumantes e Crémant do mundo.

Entretanto, o estilo criado na Côte D’Or sul é único. Vamos ver?

Continuar lendo

O Essencial Sobre a Borgonha

FRANÇA BORGONHA MERSAULT

Meus caros amigos as vezes precisamos falar sem rodeios, falar o que realmente, para mim, sem mais só há três Chardonnay por aí. Aqueles cujas uvas vieram da Cote D’Or, como Mersault, foto, o de Chablis, também na Borgonha, mas desgarrado ao extremo noroeste da região e os outros, os espetaculares outros, porém, outros Chardonnay.

Nesta publicação quero mostrar a vocês vinhos caros, sim, mas vinhos essenciais a todo o enófilo, apreciador, sommelier e enólogos, devem provar. Se forem muito caros vamos compartilhar uma garrafa, mas temos que saber até onde pode chegar a Chardonnay.

Vamos começar pela Cote D’Or coração e alma da Borgonha.

Continuar lendo

Alsácia e seus Míticos Vinhos Brancos

franca-alsacia

A Alsácia no extremo nordeste francês, fronteira com a Alemanha, produz parte da elite mundial dos vinhos brancos. 

Bela e única Alsácia. Pequena região francesa que une a pragmática Alemanha com o charme da França. Fronteira móvel, região que sofreu muitas guerras entre estes países, hoje é um amálgama perfeito entre estas culturas.

Historicamente sempre foi produtora de vinhos, desde os tempos galo-romanos.

Mas o que nos interessa realmente?

Continuar lendo

Entenda a Diversidade do Rhône Sul

FRANÇA AVIGNON

Chegamos ao Rhône  Sul. Em relação ao norte, aqui tudo muda, desde as uvas que se multiplicam, até o terroir que passa a ser de planície com clima marcadamente marítimo.

Terra de vinhos de corte, raramente se vê os varietais. O enólogo por estes lados deve elaborar vinhos de acordo com as tintas que a natureza passa. A cada ano um quadro com matizes diferentes.

Região de pelo menos 6 ou 7 uvas predominantes, entre elas a Mouvèdre, Grenache, Cinsault e Carignan entre outras menos conhecidas como a Picopouol e a Grenache Blanc. Aqui e ali aparecem a Chardonay, a Chenin Blanc e até mesmo a Viognier.

Vamos aos vinhos, as regiões e estilos?

Continuar lendo