Ideias Para Bem Harmonizar Churrasco e Vinhos

churrasco

Fim de ano chegando. Muitas reuniões de amigos e família na frente do carvão. Aí vem a pergunta, Churrasco combina com vinho?

Apesar da cerveja ser a grande campeã neste momento, há combinações dos Deuses entre vinhos e carnes.

Entretanto, assim como nos pratos com molhos ou múltiplas formas de elaborar como o bacalhau, a harmonização melhora se definirmos, antes, como será feito o churrasco, quais as carnes.

Vamos aos pares? Nesta publicação vamos ficar só nos tintos para não alongar o texto.

Continuar lendo

Anúncios

Sete Dicas Para Harmonizar Vinhos

HARMONIZAÇÃO 2

Antes é importante destacar que não há nenhuma regra fixa e imutável para harmonizar vinhos e culinária. Bebe-se o vinho que der vontade com os pratos que dão prazer.

Entretanto, importante avisar sobre os casamentos perfeitos na harmonização.

Lembrando que os vinhos têm alguns elementos essenciais que já vimos ao longo das publicações. Acidez, açúcar, álcool e taninos estão entre eles.

Cada qual terá um importante papel neste enredo. Abaixo seguem algumas regras fundamentais que iremos falar constantemente.

HARMONIZE OS VINHOS COM OS MOLHOS NÃO COM AS CARNES 

Sempre pensamos nas carnes com os vinhos esquecendo o principal, os molhos. É um tal de vinho branco encorpado com aves, rose com porco, carne de gado com tintos. Mas é o fundamental, os molhos? Eles a tudo mudam. Imagem um frango com limão e pimenta. Combina com um Branco Frutado.

Porém, o mesmo frango ao estilo Coq au Vin, isto é, ao molho de vinho tinto, jamais combinaria com este branco. Iria pedir um Tinto Frutado. Aí vai a dica, então. Preste atenção nos molhos eles podem modificar o panorama rapidamente.

GORDURA PEDE TANINO

Seja a gordura de uma carne vermelha, seja a gordura de molhos encorpados e complexos. Taninos combinam na perfeição com as gorduras. Ovelha com molho, por exemplo, é a chance ideal para os Tintos Encorpados brilharem. Taninos firmes, carnes fortes.

SAL PEDE ACIDEZ

A melhor combinação com o sal é a acidez. Pensem em frutos do mar. Como o próprio nome fala tem origem em águas salgadas. Ostras, peixes, camarão, siri são pratos que carregam em sua essência o sal. Qual a melhor combinação? Os brancos com acidez mais evidente como os Brancos Leves ou mesmo os tintos frutados em casos de frutos do mar com molhos um pouco mais pesados.

PRATOS CONDIMENTADOS PEDEM BRANCOS AROMÁTICOS

Os pratos condimentados, apimentados e com temperos exóticos como a culinária oriental, especialmente, a thai, chinesa e japonesa pedem Brancos Aromáticos. Nada combina melhor com um Gewürtztraminer que um prato neste estilo.

PEIXES CARNUDOS PEDEM TINTO FRUTADO

Esqueçam a máxima. Peixe com vinho branco. 

Peixes como Garoupa, Salmão, Bacalhau, Mero, Haddock pedem um tinto frutado. Aqui nada da lenda, peixe é com vinho branco. As gorduras destes peixes exigem taninos leves. Qual o estilo de vinho que tem taninos leves? Os Tintos Frutados.

HARMONIZE POR SEMELHANÇA OU CONTRASTE 

Nas harmonizações procuramos sempre evitar os conflitos. Nada de sobreposição ou luta entre forças. Nada de vinhos em conflito com os pratos. Pense sempre na semelhança ou no contraste. Exemplo típico. Vinhos doces com sobremesas doces ou vinhos doces com queijos salgados.

Aqui temos os dois exemplos. Porém cuide com as semelhanças para que não haja sobreposição. Por exemplo. Vinhos doces com sobremesa muito mais doce. Delicado com delicado. Pesado com pesado. Peixes leves e delicados como linguado pedem brancos leves e delicados, como os Refrescantes. Pratos de ovelha com molhos pesados pedem Tintos Encorpados.

PENSE EM VINHOS VERSÁTEIS

Muitas uvas, mesmo famosas não são versáteis. Um exemplo é a Cabernet Sauvignon. A tinta mais consumida no mundo, porém, seus vinhos com tinto encorpado, fortes taninos e toques herbáceos não o fazem um vinho versátil. Para ser versátil precisamos ter menos taninos, mais acidez, menos volume de boca. Pensem na Carménère, na Merlot ou na Sangiovese, entre outros. Pensem nos vinhos Estilo Tinto Sedoso.  

O mesmo ocorre com os brancos. Nada da Chardonnay, a mais consumida no mundo. Esta uva não tem a acidez necessária e constante para ser versátil. Somente o Chablis é assim.

Pensem na Sauvignon Blanc e na Riesling. São brancos mais leves, menos impositivos e levemente ácidos. O melhor estilo seriam os Brancos Frutados.

Na harmonização nada de amores impossíveis. Mas, sim, combinações inesquecíveis como Omara e Ibrahim. 

Conheça as dicas da Harmonização entre Vinho e Chocolate

HARMONIZAÇÃO CHOCOLATE E VINHO

 

O inverno no hemisfério sul está aí. Para nós do sul do Brasil ele, oficialmente não chegou, mas já mostrou seu cartão de visitas.

Com o frio, entre outros alimentos e bebidas,  consome-se mais vinho tinto e chocolate. Entretanto, este casamento pode ser tornar bastante conflituoso e até mesmo haver o divórcio.

O chocolate, assim como o ovo e o sal pode ser um inimigo do vinho se não pensarmos bem com qual vinho harmonizar.

Continuar lendo

Os Segredos do Casamento entre Vinhos e Queijos

QUEIJOS E VINHOS

Uma das combinações mais corriqueiras é o vinho e o queijo. São elaborados pelo homem há séculos. Formam a cultura do local. Diga-me, das regiões vinhateiras qual a que não tem seu queijo típico?

Estamos para receber amigos de surpresa, logo pensamos nos queijos para harmonizar com vinhos. Sempre tendo em mente que são amigos inseparáveis, certo?  Depende.

Este casamento pode ser perfeito como eivado de problemas, podendo levar ao divórcio. Não gosto de impor regras. Não gosto de transformar o vinho numa bebida do não, muito menos impor regras, porém, há determinadas percepções que devem ser levadas em conta quanto formos combinar queijos e vinhos.

Continuar lendo

O Meu Bacalhau de Páscoa – Com Natas e Branco Frutado

BACALHAU COM NATAS

Começa o outono no hemisfério sul, pelo menos cronologicamente. Os dias mais frios começam a aparecer e com eles dois Estilos de Vinhos começam a me fascinar. Os Brancos Frutados, em ocasiões especiais os que passaram por barricas e os Roses.

Unindo minha paixão pelos vinhos brancos e com a proximidade da Páscoa, nada melhor que um bom bacalhau na medida com seu vinho adequado. Há centenas de receitas de bacalhau com uma dezena de combinações de vinhos. Mas, se o peixe é o mesmo o que muda a combinação? Ah, os molhos. Este coringa tudo modifica.

Antes de seguirmos na publicação creio ser interessante a leitura desta publicação. O segredo de um bom e duradouro casamento é a perfeita harmonia entre as características dos Estilos de Vinhos com as características dos pratos.

Continuar lendo

Espumante Refrescante e Pasta de Bacalhau com Alho e Azeite

bacalhau em pasta

O segredo de um bom e duradouro casamento é a perfeita harmonia entre as características dos Estilos de Vinhos com as características dos pratos.

Comece conhecendo o que caracteriza o Estilo de Vinho que quer apreciar, sim, apreciamos vinhos porque são obras de arte. Depois combine estas características com as dos  pratos tudo para criar uma nova experiência sensorial.

Moro num país tropical abençoado por natureza. Assim quando a páscoa cai logo no início de março, no meu Estado no extremo sul do Brasil, ainda temos dias muito quentes.

Desta maneira optei, de entrada, apreciar um espumante Estilo Refrescante. 

Como é a característica deste Estilo de Espumante?

Na parte aromática eles são cítricos, algo lima-limão, maçã verde e um toque herbáceo. Na boca leves com acidez marcante, mas não agressiva, menor percentual alcoólico elaborados pelo método Charmat, veja aqui, para preservar esta jovialidade.

Alguns produtores optam por uma só fermentação na garrafa. Isto é do vinho base teremos o espumante sem escalas. Leiam aqui

Como são espumantes refrescantes por serem mais ácidos, alguns mais leves necessariamente, vamos combiná-los com pratos leves. Aqui vamos de pasta de bacalhau com azeite e alho e uns brioches passados na frigideira com azeite e alho ou mesmo estas torradinhas da foto.  Lembrando que a acidez casa-se, na perfeição, com o sal. Bacalhau por mais dessalgado sempre conserva um pouco mais de salinidade. Além da salinidade do bacalhau temos a gordura do azeite de oliva, do próprio peixe e um toque de gordura dos ovos da maionese. Necessitamos de um Espumante Refrescante, porém mais encorpado.

Eu certamente tenho duas opções a serem indicadas. As duas provadas e aprovadas.

ADOLFO LONA NATURE

ADOLFO LONA NATURE

Este um Espumante não tão leve porque elaborado pelo método tradicional ou champenoise, veja aqui, com segunda fermentação na garrafa o que dá um peso maior na boca pela permanência das leveduras por mais tempo. Entretanto, sua essência e razão de ser é a sensação agradável de acidez e secura pela ausência ou quase de açúcares residuais. O termos estampado no rótulo, pas dosé sem dosagem, no caso de açúcar.

Trata-se de um espumante com forte vocação gastronômica, eis que acidez firme, porém agradável, aromas finos de brioches e padaria por conta da segunda fermentação na garrafa, com fundo residual de frutos cítricos. Na boca maduro indicando o perfeito trabalho do enólogo no controle da segunda fermentação e o tempo necessário que este potro selvagem necessitou. Vai combinar na perfeição com os canapés de pasta de bacalhau no alho. O perlage, o fino colar de bolinhas que se formam quando o Co2 começa a se desprender do líquido estava perfeito. Diminutas e espaçadas como deve ser quando há o perfeito equilíbrio da segunda fermentação em garrafa. 

ESPUMANTE BEE 

BEE WINE 1

Uma segunda opção fica por conta do espumante Bee elaborado 100% Chardonnay o que confere a acidez e o frescor que procuramos. No Brasil é muito comum o espumante conter 100% de Chardonnay para mais vivacidade e jovialidade do vinho. Aqui encontrei exatamente o que procurava. Cor amarela com toques esverdeados, típico dos bons Chardonnay, perlage perfeito. Um brut leve, agradável e convidativo. Aromas suaves de frutos de polpa branca, como maçã verde.

PASTA DE BACALHAU ALHO E AZEITE

Uma barbada a sua elaboração. Não há desculpa. A foto ilustrativa retirada do site narwencuisine.blogspot.com.br é um pouco diferente porque ali usam bacalhau em conserva eu irei de bacalhau desfiado.

Mas é simples. Alhos bem picadinhos. Ponha na frigideira com o azeite de oliva ainda frio na quantidade para dourar o alho. Deixo-os um pouco para que o alho absorva o azeite. Ligue o fogo baixo. Deixe dourar até sentir os aromas do alho preencher o espaço. Desligue. Compre bacalhau em lascas, Dessalgue se necessário. Ferva o bacalhau no leite por uns tempos. Escorra o leite e coloque-o no liquidificar com a maionese e vá adicionando o azeite de oliva e o alhos aos poucos. Sirva a pasta em cima de fatias de pão levemente frita na sobra do azeite da frigideira. Depois é só dispor em uma travessa. Boa conversa e tudo se resolve na vida.

Fundo musical, certo que do meu amigo Louis. Deve haver uma maneira de viver sem o espumante, eu não sei ainda qual.