Chenin Blanc. Quem é e Onde Estão Seus Melhores Vinhos?


UVA CHENIN BLANC

Que dizer da Chenin Blanc? Versátil, maravilhosa e única. Nascida no Loire Central, França e perfeitamente adaptada na África do Sul.

Junto com a Chardonnay são as brancas mais versáteis. Encontramos esta uva, desde os espumantes, como o Vouvray no Loire até os vinhos Late Harvest onde ela nos concede uma aroma de marmelo inconfundível.

Perambula, ainda, na Argentina, Chile e Oceania. Mas no seu berço e na adotiva África do Sul explode em esplendor.

No Late Harvest e em alguns casos pontuais os atacados pela podridão nobre a Botrytis Cinerea. Um fungo que ataca as frutas quando há condições de umidade e calor. Para as outras culturas, uma praga, para a uva uma benção. Este fungo fura a casca da uva a alimenta-se de açúcar e a desidrata, naturalmente, o bago. Resultado? Um vinho único.

A BOTRYTIS CINEREA E A ÁRIA NÚMERO 3 DE BACH

A Chenin Blanc é uma casta originária da região central do vale do Loire perfeitamente adaptada aos climas mais quentes ou mais frios vai nos fornecendo vinhos únicos e especiais. Se de terroir de clima ameno mais acidez, frescor e aromas cítricos e herbáceos. Se de climas mais quentes, mais vigor, corpo e aromas mais adocicados de frutas tropicais, como abacaxi e melão.

Os vinhos tranquilos são aromáticos e agradáveis dependendo do local das videiras um pouco de mineralidade. Quando bem conduzido o vinhedo produz vinhos excelentes a preços bem razoáveis.

ONDE ESTÃO OS MELHORES VINHOS?

FRANÇA-LOIRE

O vale do Loire, região de aproximadamente 400 quilômetros de extensão, cerca de 200 quilômetros ao sul de Paris, tendo como fio condutor o rio Loire com pouco mais de 1.000 quilômetros é o mais extenso do país. Inicia na fronteira da afamada Borgonha e vai desembocar no Atlântico, em Nantes. A facilidade de transporte fluvial e portuária da principal cidade, Nantes, sempre influenciou a região. Sua vocação vinhateira vem desde os tempos da Roma Antiga.

Aqui é terra e berço da Chenin Blanc que nos brinda com espumantes, vinhos brancos encorpados e aromáticos, vinhos de sobremesa e, em condições climáticas especiais os Botrytizados aqueles atacados pela podridão nobre. Melhor sub-região do Loire para a Chenin é Vouvray, anotem aí.

VOUVRAY

FRANÇA LOIRE VOUVRAY

Nas outras cidades do Loire médio, no leste da cidade principal, Tours, estão as apelações de Vouvray e Montlouis. 

Ali nasce a maravilhosa Chenin Blanc, extremamente versátil, produz vinhos brancos de corpo médio, jovens, alegres, de acidez média, frutados e aromáticos. Produz, vinhos secos, semi-doces, doces e espumantes. E em condições especiais os vinhos botritizados. Aqueles atacados pela podridão nobre a Botritys Cinerea.

A proximidade do Atlântico nos oferece outro clima, mais fresco no verão e um pouco menos rigoroso no inverno, ideal para a Chenin Blanc, que encontra em Savennères, vinhedo da foto. 

Dali saem vinhos brancos minerais, aromáticos, encorpados e de grande persistência e retrogosto. Aqui os Chenin precisam de pelo menos uns três anos de garrafa para desenvolverem seu potencial.

Importante destacar o Crémant de Loire, o espumante (Crémant) os melhores são produzidos pelo método tradicional (Champenoise) em Saumur e Vouvray em Touraine. Os de Saumur são feitos de Chenin Blanc, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Cabernet Franc. 

ÁFRICA DO SUL

Entretanto, no hemisfério sul deu-se muito bem na África do Sul. Mas um importante capítulo da história leva esta uva para seu berço adotivo.

Esta uva foi levada para a África do Sul, lá pelos anos de 1580 pelos Huguenotes, expulsos da França, por questões religiosas. Logo que se instalaram em Constantia, perto da Cidade do Cabo trataram de produzir vinhos com a Chenin Blanc.

Na África do Sul se produz, também, os mais variados estilos de vinho com esta casta.

Lá também conhecida por Steel. Muito plantada na região de Paarl e Constantia, como é muito vigorosa durante anos deu origem a vinhos populares e sem maiores qualidades. Nos últimos 10 anos vem sendo trabalhada de uma maneira mais correta, diminuindo a sua área plantada e melhorando e muito a qualidade dos vinhos.

Na África do Sul, hoje, seguramente, se faz Chenin Blanc capazes de rivalizar com os produzidos na França.

Um bom  Chenin sul-africano de região mais fria como locais altos e Steelenbosch e Paarl, tem um tom mineral, com aromas levemente cítricos, algo como frutos de polpa branca, maçã e pera. Já os de regiões mais quentes tem aromas de abacaxi e frutas tropicais. Basicamente todas as regiões produtoras da África do Sul tem seus exemplares. Porém, Paarl e Steelenbosch são os melhores.

PAARL

ÁFRICA DO SUL PAARL

O vale de Paarl mais ao norte de Stellenbosch. Terceiro centro urbano a se desenvolver na África do Sul. Em 1687, o governador Simon van der Stel iniciou o desenvolvimento com as primeiras fazendas coloniais. Importante capítulo ficou com os Huguenotes franceses, fugindo de perseguições religiosas na França trazendo as primeiras mudas da Chenin Blanc e de outras uvas importantes. Um belo impulso ao nascente vinho sul-africano. 

O vale de Paarl tem clima perfeito para as uvas e outras típicas frutas de frio, como maçã, pêssego e figo. Tornou-se, rapidamente, em importante polo de fruticultura. 

Cercado de uma cadeia de altas montanhas seus vinhedos estão no centro deste vale, como o da foto ou nas encostas das montanhas para ganhar, na altura, condições mais favoráveis a algumas castas tintas e maioria das brancas, principalmente, a Chenin Blanc.

Situado 60 quilômetros a leste da Cidade do Cabo este vale está bem protegido dos ventos gelados do oceano Atlântico e da Antártida. Até poucos anos atrás plantava-se basicamente castas brancas, como a Chardonnay, Chenin Blanc e mais recentemente a Sauvignon Blanc nas subidas das montanhas onde no verão aproveitando os ventos frios que refrescam os vinhedos retardando a maturação das uvas e garantindo, assim, a acidez necessária para a produção de um branco de qualidade.

STEELENBOSCH 

A 50 quilômetros da Cidade do Cabo e situada numa região montanhosa e protegida dos fortes ventos que sopram oceano Atlântico, principalmente no inverno. Segunda cidade a nascer após a Cidade do Cabo, também, pelo precursor Simon Van Der Stel. Bosch significa mato, portanto, é Mato do Stel a tradução. O que importa é que aqui também os Huguenotes deixaram sua marca. Hoje, o centro vitícola da África do Sul está baseado neste no trinômio, Paarl, Stellenbosch e Franschoek.

Clima mediterrâneo, proteção natural da cadeia de montanhas e vários microclimas pelo relevo de montanha, certamente, nos trazem vinhos muito especiais e diferentes entre as mesmas uvas. Tudo depende de onde foram plantados e qual a ideia do produtor, assim, cada vinhedo tem seu terroir específico. Com vinhedos plantados em várias alturas, de 20 a 300 metros de altura e nas encostas das montanhas que em alguns casos chegam a mais de 1000 metros.

Mas, sem dúvida alguma os diversos microclimas em face das diferentes alturas dos vinhedos é que dá o charme todo especial para os vinhos aqui produzidos.

Falou em Chenin Blanc me lembro do Tim Maia. Versátil como ela.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s