Aprenda a Ler o Rótulo do Champagne/Espumante


champagne 2

Neste charmoso restaurante em Reims, Champagne, França, centro e início do mais glamouroso vinho do mundo certamente vamos ler nos rótulos e falar de alguns conceitos e vocabulários básicos do champagne e dos espumantes.

São conceitos e classificações que vemos nos rótulos deste estilo de vinho mundo afora. Entendê-los é essencial para que possamos usufruir o que há de melhor no mundo das borbulhas.

Estes conceitos e classificações nasceram na terra das bolinhas.

Vamos a eles?

VOCABULÁRIO BÁSICO ESTAMPADO NO RÓTULO

Alguns termos são utilizados em champagnes e espumantes e outros somente para o champagne.

Aqui o essencial é entendermos o que significa vinho base. O Champagne é geralmente um corte de dezenas deles em alguns casos até centenas deles.

O QUE É UM VINHO BASE?

perignon-1

BLANC DE BLANCS: Branco de brancos. São os champagnes/espumantes feitos exclusivamente com uvas brancas. No caso do champagne aqueles feitos exclusivamente com a Chardonnay, mais raros são os elaborados com as uvas pinot blanc, arbanne ou petit meslier.

BLANC DE NOIR: Branco de tinto. São os champagnes  elaborados exclusivamente uvas tintas como a Pinot Noir, Pinot Meunier ou as duas. Já os espumantes são aqueles brancos elaborados com uvas tintas, como a Merlot, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon.

CUVÉE: É um corte (blend) em Champagne das três uvas autorizadas. As Pinot Noir e Meunier e a branca Chardonnay. Nos espumantes tradicionais usa-se, principalmente a Chardonnay como coluna vertebral e as tintas que mais se adaptam ao terroir, como a Pinot Noir, Cabernet, Merlot. As uvas que irão compor o vinho base são vinificadas em separado nos anos de suas colheitas. Armazenadas em separado e utilizadas nas quantidades determinadas pelo enólogo responsável pela elaboração do champagne. Há casos de vinhos utilizados de 10 safras diferentes. 

CUVÉE PRESTIGE: São aqueles champagnes onde no corte são utilizadas uvas provenientes dos Grand Cru que possa ter o produtor. Em termos de qualidade são comprovadamente o que o produtor tem de melhor.

VINTAGE/MILLÉSIME: São os champagnes elaborados com uvas de uma só safra. Portanto, as safras especiais para champagnes especiais. Quando as uvas de uma colheita particular coloca ou põe em evidência suas qualidades remarcáveis, os elaboradores podem decidir que este champagne carregará um Millésime. Para alcançar a maturidade perfeita o Millésime precisa de um envelhecimento em adega mais prolongado, de 4 a 5 anos. O champagne comportará o ano de safra. Não necessariamente estão vinculados a qualidade máxima. Apenas destaca-se que as uvas que o compõem são de uma mesma safra.

GRAND CRU: São aqueles champagnes cujas as uvas são oriundas de terroir demarcado por legislação. Outro item que deve estar na ponta da língua é a classificação do champagne/espumante.

CLASSIFICAÇÃO DO CHAMPAGNE/ESPUMANTE QUANTO AO PERCENTUAL DE AÇÚCAR

Importante destacar que esta é uma das classificações dos espumante. Aqui o percentual de açúcar é o grande diferencial. Lembrando que quando dos primeiros champagnes o “normal” era o doce com grandes doses residuais de açúcar.

DESMISTIFICANDO OS AÇÚCARES DO VINHO

Tanto que o Brut (bruto) veio muito tempo depois e pelo próprio nome já dá para antever como era entendido à época.  Mais, esta legislação varia de país para país mas nunca desfigurando os conceitos básicos.

Na legislação brasileira:

NATURE: De 0,3 gramas a 3,0 por litro.

EXTRA-BRUT:  Extra-Brut de 3,1 até 8,0 gramas por litro. 

BRUT: de 8,1 até 15,0 gramas por litro. Seco de 15,1 até 20 gramas por litro. 

DEMI-SEC: Ou meio-doce de 20,1 até 60,0 gramas por litro.

DOCE: De 60,1 até 80,0 gramas por litro.

Outro conceito que deve ser entendido antes de sair por aí falando deste estilo de vinho é o Perlage. Um do mais importantes sinalizadores da qualidade do champagne/espumante.

DO PERLAGE 

ESPUMANTE LONA

Perle em francês quer dizer pérola, não sei se estou tecnicamente correto ou não, mas traduzo sempre como colar de pérolas. Como este da foto acima. Uma linha intermitente de bolhas que muito nos dizem como foi feito este espumante e se ele, no visual, já nos dá um ar de qualidade.

O Perlage é o Co2 perfeitamente misturado ao líquido pela fermentação das leveduras quando elas alimentam-se do açúcar da uva entregando ao espumante aromas e o Co2.

O Perlage deve ser, nos casos de espumante ter sido feito com a segunda fermentação na garrafa, método tradicional, como o da foto, constante, espaçado, ritmado e com bolinhas pequenas. Assim como o da foto.

Vamos de Louis. Sempre que estou na frente de boas borbulhas lembro dele. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s