Saiba as Diferenças entre os Vinhos Porto e o Madeira


portugal-madeira-vinhedos-2

Portugal é mestre absoluto no quesito vinhos fortificados. Desde o Porto (Douro) aos Moscatéis (Setúbal) e os Vinhos da Ilha da Madeira, passando por Açores.

Entretanto, há dois estilos que andam juntos nas prateleiras das lojas especializadas e mercados, o Porto e o Madeira.

A primeira vista, para um distraído consumidor eles se parecem. Mas, há, entretanto, enormes diferenças. De igual mesmo só a técnica da interrupção da fermentação para ganharmos mais álcool, açúcar e aromas.

Vamos as diferenças entre eles?

Houve época em que os vinhos viajavam muito mal. Refrigeração e transportes rápidos não existiam. A solução de acondicionamento dos vinhos para as viagens ultra-marinhas foi a de aumentar o percentual de álcool nos vinhos. Mais álcool mais possibilidade de viagens longas. Assim surgiram os principais vinhos chamados fortificados. Porto, Madeira, Moscatel de Setúbal, Marsala, entre outros.

E como eles são feitos?

VINHO FORTIFICADO O QUE É? 

Dito isto vamos as diferenças entre o Madeira e Porto.

TERROIR

Por terroir, uma antiga palavra francesa, podemos dizer que hoje significa: Clima, Solo, Geografia e Intervenção Humana.

Aqui a primeira e enorme diferença. Enquanto as uvas do vinho do Porto vêm do Vale do Douro. O Douro inicia na Espanha e chega no Atlântico. Passando por regiões quentes e secas no verão com invernos fortes e bem definidos. Os vinhedos são varridos no final da maturação por ventos secos. Há que se descobrir micro-climas para determinada uvas poderem amadurecer com segurança.

Já os vinhos da Ilha da Madeira vêm de uvas plantadas em altura com climas úmidos e quentes.  A Ilha da Madeira fica a 1.000 quilômetros de Lisboa e a 600 do litoral africano, Marrocos.

A diferença climática entre a ilha e o continente português nos dá características especiais nas uvas e na elaboração do Vinho Madeira. Clima subtropical na parte sul da ilha e temperado na parte norte. Temperaturas médias acima dos 20 graus celsius. Índice pluviométrico acima dos 500 mm no sul da ilha e 2.000 mm nas encostas do norte. Ventos do Atlântico garantem uma elevada umidade o ano todo somado aos solos vulcânicos estão garantidas as condições para uma vegetação exuberante.

TÉCNICAS DE ELABORAÇÃO

VINIFICAÇÃO DO PORTO 

O vinho do Porto, como qualquer outro vinho generoso (fortificado) é o vinho que recebe aguardente vínica  logo no início do processo de fermentação, matando as leveduras que iriam transformar os açúcares em álcool, aromas e Co2. Como resultado um vinho com grau alcoólico maior, entretanto, mantendo bons níveis de açúcar da uva.

DA MATURAÇÃO DOS VINHOS DO PORTO

barricas-porto

Depois de elaborados os vinhos vão para a maturação. Se em grandes barris de madeira abertos teremos o Tawny se fechados o Ruby, fora os Vintage em épocas especiais e os L.B.V.  

VINIFICAÇÃO VINHO MADEIRA 

Ao contrário dos vinhos do Porto que usam aguardente vínica, os vinhos da Madeira que utilizam álcool vínico, o que traz aromas e sabores bem diferentes ao Madeira.

DA MATURAÇÃO DOS VINHOS MADEIRA

Após estancar a fermentação, para, como dito, manter elevados índices de álcool e açúcares da uva, os vinhos da Madeira vão para o a maturação.

Aqui utilizam sistemas totalmente diferentes. Os vinhos Madeira serão “cozidos” nas soleiras das vinícolas.

ESTUFAGEM

Onde são produzidos os mais simples e corriqueiros, aqueles elaborados com a Tinta Negra. Aqui, se qualquer outro vinho fosse elaborado com esta técnica seria um desastre total. O vinho depois de terminado seu processo de elaboração é colocado para “cozinhar” ou estufar. Tem tempo que se sabe que estes vinhos melhoram com o calor. Daí o desenvolvimento desta técnica.

Hoje utilizam-se tanques de inox com controle de temperatura para simular as mesmas condições. Em ambiente redutor de oxigênio o vinho é aquecido e durante o tempo certo sofrerá redução e oxidação nos trazendo a maravilha que é este vinho. Muda a cor, perdendo a tonalidade tinta para ter aquela cor típica. São vendidos com a denominação MADEIRA no rótulo.

CANTEIRO – SOLEIRAS

portugal-ilha-da-madeira-soleira

Os melhores, aqueles que falamos anteriormente são elaborados pelo método de Canteiro. Que na verdade é o mesmo processo só que de forma natural. Nada de tanques de inox com temperatura induzida e controlada.

Os vinhos vão para os cascos e são colocados no sótão das casas ou das vinícolas. Ah, isto mesmo, lá em cima pegando o calor necessário para que sejam lentamente cozinhados,  tornando-o muito resistente ao tempo.

DAS UVAS DO VINHO MADEIRA

Ao contrário do Porto onde as uvas tintas são as mais afamadas os vinhos da Ilha da Madeira, fora exceções, entre elas a Tinta Negra Mole, uva de casta tinta bastante versátil e vigorosa com casca fina daí seu nome.  Produz vinhos tranquilos no Alentejo e na Madeira produz sozinha tintos secos e meio doces.

As brancas começam pela Verdelho  produz na ilha vinhos encorpados com acidez baixa. Sercial, hoje em dia plantada quase que exclusivamente na Ilha da Madeira. Nos fantásticos nomes que as mais variadas regiões de Portugal dão as uvas, também é conhecida pelo sugestivo nome de Esgana-Cão pelos altos índices de acidez que alcança, principalmente quando plantada nos mais altos vinhedos da ilha. Boal, nativa de Portugal está na Ilha da Madeira desde sempre compondo e participando da elaboração dos famosos vinhos licorosos da ilha. Malvasia, nativa da Grécia está por trás dos grandes vinhos doces da Europa. Bastante aromática e mais adocicada.

UVAS DO PORTO

Como dito as mais famosas são as tintas. Como Tinta Roriz, Tinta Amarela, Tinto Cão, Tinta Barroca e as Touriga Nacional e Franca. Não que as brancas não existam no estilo Porto, mas convenhamos as mais famosas são estas tintas.

AS SEIS UVAS TINTAS ESSENCIAIS AOS VINHOS DO PORTO 

Por fim a classificação dos vinhos.

CLASSIFICAÇÃO DOS VINHOS DO PORTO 

O porto tinto se classifica em: Tawny, Ruby. E por qualidade, L.B.V (Late Bottled Vintage) e Vintage.

O branco em Seco e Doce.

CLASSIFICAÇÃO DOS VINHOS DA ILHA DA MADEIRA

Os vinhos da Madeira se classificam em:

POR DOÇURA: Como vimos acima há quatro classificações por nível de doçura. Seco (Sercial), meio-seco (Verdelho), meio doce (Boal) e o doce (Malvasia).

VINHOS ESPECIAIS: São os elaborados com uvas de uma só safra, os COLHEITAS ou FRASQUEIRAS. Aqui sempre vem claramente identificadas no rótulos as datas em que colhidas as uvas.

De qualquer sorte são, para mim, vinhos para refletir, vinhos para relaxar.

Nada como aproveitar um ou dois cálices ouvindo Billie. 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s