Vinho Congelado. O que É?


ice-wine-2

Homero, o poeta, disse: Ganimedes foi o mais encantador nascido da raça dos mortais, e, portanto, os deuses pegou-o para si, para servir o melhor vinho a Zeus, por sua beleza ele não podia estar entre os mortais. Mas que vinho de excelência era este?

Era um Ice Wine, com certeza. 

Um bom observador e consumidor de vinho já deve ter notado em alguma loja de especializada um setor chamado de vinhos de sobremesa. Ali, garrafas menores ou 1/2 garrafa de alguns vinhos caros.

Late Harvest (colheita tardia) os mais baratos. Mas, com atenção encontram-se garrafas pequenas que alcançam valores bem altos. Seus olhos logo sairão dali pensando como pode ser tão caros.

Entretanto: Volte lá e veja o que está na tua frente.

Estes são os chamados vinhos do gelo, Ice Wine ou Eiswein. Parece novidade, mas não é. Hoje espalhados pelos países viticultores que têm neve. EUA, em Oregon e Washington e Canadá.  Mas nenhum deles têm o charme e a história dos Eiswein austríacos e alemães.

Os alemães são os primeiros, desde sempre, neste estilo de vinho. Na Francônia há provas de que assim são produzidos desde os Romanos.

O QUE É UM ICE WINE?   

White and red Icewine Glasses in Vineyard. (CNW Group/Wine Country Ontario)

São uvas a serem vinificadas, mas colhidas bem depois da colheita indicada e congeladas pela neve. Assim, ao serem esmagados os cristais de gelo que se formam leva o excesso de água e temos um sumo concentrado, aromático e perfeito. Um néctar dos Deuses.

Lembrando que o congelamento das uvas ocorre depois da indicação da colheita, portanto, já em estado de passas de uvas o que concentra ainda mais aromas e açúcares.

Importante destacar que estas uvas, mesmo com concentração de açúcar mantêm uma acidez marcante, eis aí o grande charme destes vinhos.

Depois de colhê-las congeladas vão para a vinificação. Concentração de aromas chega ao máximo. De lá sai este vinho untuoso colorido e bom demais.

Podem ser feitos ao estilo rose ou brancos. Ao bebê-los imagine um caleidoscópio de sensações. 

Como são vinhos muito aromáticos, grandes concentrações de aromas de frutos secos, nozes, especiarias, algo de doces mágicos como uma torta de maçã com canela, enfim, cheirar para ver.

Na boca continua o show. Como são vinhos que apesar da concentração de açúcares tem muita acidez em nada pode-se dizer vinhos doces. São vinhos agridoces. Na ponta da língua sentimos o doce e logo atrás o ácido. Assim estes vinho ao colocá-los na boca e deixar ele girar por lá sentiremos doces, ácidos e muito prazer, podem acreditar.

Por que são tão caros?

Imagine um vinhedo na Europa. Poucos hectares custam uma fortuna. Lá quem tem 20 hectares tem muito vinhedo. Depois espera-se a colheita tardia, perde-se mais líquido com ela, diminuímos a produção. Ao final espera-se a neve, além disto, temos a seleção das uvas, perde-se mais um pouco.

Assim estes vinhos são caros, mas muito bons. Verdadeiros regalos de Deus.

Aprecie com Chopin, não tem erro com eles, não tem erro. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s