A Magia da Tempranillo


a tempranillo

A Tempranillo é a Rainha absoluta da península Ibérica. Nascida e crescida na Ibéria hoje ganha o mundo nas mais variadas regiões. Entretanto, em Portugal e Espanha ela nos mostra todo o seu esplendor.

Uva de muitos nomes. Na Espanha mais de 40. Os mais importantes, Tinta do país e Tinta Toro. Em Portugal, no Alentejo Aragonês e no Douro Tinta Roriz.

Espalhada por pelos dois países, mas encontrando sua força máxima em Portugal (Alentejo e Douro) e Espanha (Rioja,  Ribera Del Duero). Estas duas regiões espanholas , certamente, não estariam no mapa do vinho não fosse a Tempranillo.

Melhor terroir são os que conseguem pelo solo e clima no final da maturação, forte insolação e a noite mais fresca a fazem alcançar total madureza do fruto, desde a semente. Só lembrando que em Ribera Del Duero, no verão os dias chegam fácil aos 40 graus celsius e a noite cai para 15 graus. A Tempranillo ama estas condições.

Os fortes e maduros taninos levam a vinhos com grande vocação para guarda.

Os vinhos com esta uva dependem muito do clima onde estão os vinhedos. Se mais fria a região os Tempranillos nos dão vinhos mais leves, menos escuros e mais ácidos.

Se os vinhedos estão em regiões mais quentes, ao contrário, mais encorpados escuros e densos.

TERROIR DE CLIMA FRIO OU QUENTE. COMO INFLUENCIA NO TEU VINHO?

É utilizada como varietal ou corte. Múltipla temos desde os rosados até os tintos dos três estilos, o Frutado, o Sedoso e o De Guarda, tudo depende do terroir, da condução da videira e das técnicas de elaboração. 

Outra questão a levar em conta, principalmente na Espanha, é o estilo imposto pelo enólogo, principalmente, em relação a utilização das barricas e o tempo de estágio nelas. Este gráfico dos vinhos de Rioja muito nos ajudam a entender esta influencia. 

TEMPRANILLO RIOJA

ONDE ESTÃO OS MELHORES TEMPRANILLOS?

Como acima Portugal e Espanha a tem como uva mágica e especial. 

NA ESPANHA

A parte alta da Espanha do centro para nordeste é o berço e chão desta uva. Desde Toro, mais baixa e mais a oeste até Rioja, mais alto e mais a nordeste passando por Ribera Del Duero.

RIOJA

Uma Denominação de Origem antiga na Espanha. Cortada pelo rio Ebro, mais a nordeste de Ribera Del Duero. O vinho Riojano como conhecemos hoje começou a ser desenhado na segunda metade do século 19 quando da fundação de bodegas centenárias capitaneadas por enólogo do porte de Luciano Murrieta. A proximidade do porto da cidade basca de Santander facilitou a exportação para os EUA e Inglaterra, principais consumidores.

Em termos de terroir há pouca diferença em relação a Ribera Del Duero, com forte insolação no verão, clima muito seco irrigação pelo Rio Ebro e noites frias. Diferença de temperatura entre dia e noite por volta dos 20 graus ou mais. Estas condições favorecem as tintas com bastante carga de taninos como a Tempranillo. Retardam o amadurecimento fixando melhor os aromas e “arredondamento” dos taninos.

Para uma leitura mais aprofundada: AS TRÊS RIOJAS

RIBERA DEL DUERO

Banhada pelo querido Duero. A região está localizada em Castilla Y Léon, um planalto com 700 a 800 metros de altura. Recebem as mesmas grandes variações de temperatura de dia e noite no verão. Solos paupérrimos de matéria prima. Raiz desce muito para buscar seu alimento. Condições mais do que ideais para as tintas.

Muito se deve o desenvolvimento dos vinhos de Ribera a Bodegas conhecidíssimas como Vega-Sicilia e seu ícone e a Pesquera. Os proprietários iniciaram os trabalhos de tecnologia de produção e plantio em 1975 e eram chamados de visionários. Em Ribera tinha somente vinhos básicos para granel sem nenhuma expressão nacional.

Em 1982 saiu a Denominação de Origem para os vinhos de Ribera Del Duero. Logo Alejandro Fernandéz proprietário do grupo Pesquera, pelo início dos anos 80 adquiriu teras no Condado de Haza, uma vila medieval que conserva a memória dos tempos da permanência dos Mouros na Espanha.

PESQUERA

E ali começaram as primeiras videiras de Tempranillo em Ribera. Estes pioneiros estabeleceram o estilo tradicional dos vinhos em Ribeira Del Duero. Tintos com forte personalidade, encorpados, densos aromáticos e bastante amadeirados.

PORTUGAL

Destaco a importância da Tempranillo com dois nomes distintos e regiões opostas. Douro no norte com o nome de Tinta Roriz e ao sul, Alentejo com o nome de Aragonés.

No norte a Roriz faz parte do corte clássico dos vinhos do Porto e dos vinhos tranquilos. Raramente em varietal, mas nos cortes essencial.

douro vinhateiro

O DOURO MÁGICO

Ao sul na imensidão azul do Alentejo recebendo o sol, calor e variação de temperatura necessárias esta uva é importante nos cortes do vinhos tintos e em varietal. Vinhos deliciosos, frutados e muito imponentes. Imprescindíveis ao estilo clássico do Alentejp. VInhos “gulosos”, cheios e encorpados.

Leitura com mais calma: A IMENSIDÃO DO ALENTEJO 

A múltipla e fantástica Tempranillo nas suas melhores regiões e formas pede a voz de Buika

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s