Aqui o Roteiro para Escolher o seu Vinho com a Chardonnay


CHARDONNAY VINEYARDS

Difícil neste planeta quem não tenha provado um vinho com a Chardonnay. Oito em cada dez garrafas de brancos em grandes supermercados são elaborados com ela.

É a casta branca mais apreciada e plantada no mundo todo. Para muitos a única uva branca que conhecem e gostam. Esta uva é internacional pela sua adaptabilidade, versatilidade e qualidade.

Está presente em vinho de sobremesa, é a coluna dorsal dos Champagnes, Crémant e espumantes espalhados pelo mundo, além de nos oferecerem vinhos dos mais variados terroir e são elaboradas com ou sem barricas.

É o ouro branco dos produtores de vinho.

Conseguem obter resultados quase sempre razoáveis para bons com ela. Há dois estilos de vinho branco elaborados com ela Brancos Estilo Frutado e Frutado Encorpado, aqueles com passagem em barricas e os Brancos Refrescantes. 

Se ela está aqui, lá e acolá, pergunta-se: Aonde estão os melhores e inesquecíveis exemplares desta uva? Antes é preciso entender como os diferentes terroir afetam os estilos de Chardonnay.

Por terroir entendemos:

TERROIR LEITURA OBRIGATÓRIA

CLIMAS QUENTES 

Dias finais de maturação da uva influenciam drasticamente na quantidade de açúcar natural do fruto. Quanto mais sol quanto mais será de Brix (medição de açúcar) do fruto. Lembrando que os açúcares pelo trabalho das leveduras será transformado em álcool, aromas e Co2. 

A Chardonnay de climas mais quentes apresenta-se com mais doçura do fruto, mais frutada e um tanto puxada para o mel e frutas secas. Quando passada por carvalho apresenta-se mais amanteigada com aromas de baunilha.

CHARDONNAY E CLIMA

CLIMAS AMENOS

Em climas mais frios apresenta-se mais ácida, seca e com aromas cítricos.

Volta-se a pergunta. Quais os Chardonnay que um apreciador de vinhos deve provar para saber até onde chega esta uva?

ONDE ESTÃO OS MELHORES EXEMPLARES DA CHARDONNAY?

Certamente os Chardonnay da Borgonha. Apesar da uva viajar muito bem ao ponto de ser quase onipresente é na sua terra natal que ela mostra seu esplendor.

Na Borgonha temos os dois estilos opostos com esta casta. A ver. O trio de ouro da Côte D’Or.

A CÔTE D’OR

A Côte D’Or tem 50 quilômetros de extensão e uns 2 ou 3 de largura. É uma pequena linha de terra onde estão concentrados o mítico terroir para a Chardonnay e a Pinot Noir. O solo apresenta-se em vários tipos, de ferrso, argiloso e calcário. O charme fica por conta de suas suaves colinas. Por uma razão geológica estas colinas apresentam-se como uma fenda. Os vinhedos estão plantados em patamares. Cada nível de altura tem um diferente terroir.

borgonha 4

Vejam a ilustração. De Beaune ao sul estão localizadas as três principais vilas da Chardonnay. Gravem estes mágicos nomes:

CHASSAGNE-MONTRACHET

A comuna possui três Grads Crus: Montrachet, Bâtard-Montrachet e Criosts-Bâtard-Montrachet. É das três vilas a com maior área disponível para os vinhedos plantados em alturas médias de 200 a 350 metros com as tradicionais mudanças de solo a cada parcela de altura.

Situada mais ao sul de Breaune tem climas mais frios o que nos traz um Chardonnay com mais acidez e cores amarelo oliva, complexos aromas marcados de grama molhada, frutos cítricos. Os que passam por barricas ganham o característico amanteigado e notas de nozes nos aromas.

MERSAULT

Mais ao norte de Chassagne-Montachet com suas suaves colinas tendo o registro das primeiras vinhas de Chardonnay em 1.098 pelos Monges Cistercieneses. Tem a maior área plantada dos brancos de elite da Côte D’Or, mesmo não tendo nenhum Gran Cru possui 19 Premiers Crus.

Seus vinhos são esplêndidos, mágicos e facilmente conquistam o coração de quem os aprecia. O solo argiloso e calcário mantém o frio e a umidade mesmo no verão garantindo a prefeita maturação do frutos sem sobressaltos.

O Chardonnay com cores amarelo dourado. Os melhores exemplares podem envelhecer por mais de 10 anos. Quando jovens são encorpados, sem perder a acidez, aromáticos e bastante minerais ao mesmo tempo. Aromas de pêssego, damasco e maçã. Os mais antigos aquele toque especial da oxidação com aromas puxando ao mel e amêndoas. Passam por barricas.

PULIGNY MONTRACHET

A terceira vila de ouro. Nas suaves colinas e pequenas parcelas muitas vezes de diversos proprietários sai aquele que muitos consideram o melhor Chardonnay do mundo. Desde os Monges até os poderesos Duques da Borgonha há o cultivo correto e melhorias constantes. Nesta região só há Grands Crus e Premier Cru, São 4 Grand Crus e 17 Premiers.

O Chardonnay quando jovem é fechado e ácido. Poderíamos dizer uma decepção pelo preço que se paga. Depois de 6 anos começa a abrir e a evoluir. Em torno de 8 a 10 anos alcançam o auge. Passam a ser minerais, aromas de frutos secos um leve toque de abacaxi e mel. Deliciosos. Opulentos e mágicos.

 Na mesma Borgonha, porém, ao noroeste está Chablis.

CHABLIS UM CASO A PARTE

chablis 4

Os vinhedos de Chardonnay com a vila de Chablis ao fundo. Climas mais frios, invernos rigorosos, verões curtos e secos. Este clima além de dar muito trabalho aos produtores com geadas fora de hora e chuvas de granizo nos brinda diferentes safras a cada ano.

O solo de Chablis era um outrora mar todo o sub solo está recheado de conchas e restos marinhos. Leva ao vinho uma mineralidade única, singular e marcante. Se na mesma Borgonha temos um Chardonnay gordo e opulento, aqui temos um Chardonnay vibrante dançando na nossa boca. A classificação vai do mais simples o Petit Chablis até o Grand Cru, o topo, passando pelo Chablis e o Premier.

Um bom Chablis é um vinho amarelo palha, aromas minerais e cítricos. Na boca leve, refrescante e com acidez marcante. Quanto mais evoluímos na classificação mais toques de antiguidade como mel e amêndoas ganham os complexos Grand Cru.

Descendo a um mundo mais cotidiano posso indicar o Chardonnay do Chile.

VALE DO RAPEL

CHILE COLCHAGUA 4

Dividido em Colchagua e Cachapoal o Vale do Rapel nos seus locais mais frios vem nos trazendo um Chardonnay de alta gama. O frio faz com que ganhe menos doçura mantenha menos álcool final, mais charme e elegância. Toques minerais nos aromas misturam-se ao clássicos aromas de frutos de polpa branca como pera e maçã verde. Se de locais mais quentes passamos a toques de abacaxi, melão e manga. Vale a pena. Outra região que destaco com forte influência em brancos é Casablanca.

CASABLANCA

Vinhedos muito perto do Pacífico recebendo os frios ventos da corrente de Humboldt que inicia na Antártida e finaliza exatamente ali em Casablanca. Os frios ventos noturnos refrescam os vinhedos nas noites finais de verão retardando o amadurecimento dos frutos melhorando a qualidade da maturação com fixação de aromas e uma acidez refrescante. Vale a experiência.

Temos outros locais onde a Chardonnay é rainha, como as partes mais frias da Nova Zelândia, Austrália e África do Sul.

Porém, são vinhos mais caros que os do vizinho Chile. E se é para gastar mais que dividamos um Borgonha para nunca mais esquecer até onde chega a Chardonnay.

CHARDONNAY BARRICADO

Através das barricas entramos nos vinhos mais amanteigados, encorpados e com mais aromas advindos do tipo de madeira em que passou. Se carvalho francês, mais elegância e variados aromas segundo a região francesa de onde veio o carvalho. Se por barrica de carvalho americano, mais barato e, portanto, mais comum, certamente ganha em aromas de baunilha.

LEIA SOBRE AS BARRICAS AQUI

Caso não passe por madeira perde em aromas e maciez, mas ganha em rusticidade, acidez e frescor. Um bom Chardonnay de regiões frias, como o Chablis lembra, imediatamente, no nariz a grama cortada, na boca mineralidade.

Aznavour em um Chardonnay barricado. Tudo a ver.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s