Barricas no Vinho. Quando são Essenciais? Quando são Temperos? Quando são Desnecessárias?


apresentação do vinho barricas

Assunto por demais tormentoso que ainda tira o sono de muitos apreciadores do vinho.

Parece que quanto mais leem menos sabem.

As barricas. Quase todos os rótulos de vinho a mencionam. Alguns não conseguem entender o vinho sem elas. Mas qual a sua utilidade na elaboração do nosso vinho?

Quando elas são essenciais? Quando elas são temperos? Quando elas são desnecessárias?

Quais as suas funções na vinificação?

DAS FUNÇÕES DAS BARRICAS NA ELABORAÇÃO DOS VINHOS

São cinco as funções:

1- Domar os taninos do vinho.

Lembrando que um vinho é o resultado da fermentação das leveduras que “comem” o açúcar presente no mosto e os transforma em álcool, aromas e Co2. Este processo é realizado em redução máxima de oxigênio, mas sempre há que haver um pouco de oxigênio. A única maneira de domar a aspereza dos taninos é a micro oxigenação. 

 2-Realizar a micro oxigenação. 

Os micro poros das barricas fornecem a micro-oxigenação necessária ao vinho enquanto ele descansar no seu interior. Tanto para arredondar os duros taninos como para que o vinho continue a evoluir nas barricas. 

3- Fornecer taninos ao vinho. O álcool é abrasivo.

Necessariamente ele irá retirar taninos das madeiras e amalgamá-los ao vinho dando outros aromas e sabores. 

4- Estabilizar a cor do vinho. 

5- Fornecer aromas.

Ao serem retirados os taninos das madeiras com eles irão os seus aromas.

QUANDO AS BARRICAS SÃO ESSENCIAIS

Quando os vinhos são elaborados com uvas com forte carga de taninos. Como a Malbec, Cabernet Sauvignon, Tannat entre outras. Estas uvas podem nos trazer os vinhos de guarda, aqueles com mais de 7 ou 8 anos de estágio em barricas e garrafas.

Recomendo a leitura.

CONHEÇA UM TINTO DE GUARDA 

Neste estilo de vinho ela é essencial.

QUANDO AS BARRICAS SÃO TEMPEROS

Quando os vinhos sem necessidade emergencial de passar por barricas acabam por ali estagiar. O que se procura, nestes casos, é mais um tempero de aromas e sabores advindos das barricas do que, necessariamente, a micro-  oxigenação, pois esta pode se feita pelo tempo de dormência do vinho nas garrafas. Em geral o Estilo Tinto Sedoso comporta as barricas no quesito tempero.

QUAIS SÃO OS TINTOS SEDOSOS? 

QUANDO AS BARRICAS SÃO DESNECESSÁRIAS?

Quando o vinho, seja ele branco ou tinto não precisam passar por barricas. Aliás, eles se passarem por barricas ficam pesados e sem graça. Nestes casos sentimos demais a presença das barricas em detrimento do frescor e jovialidade destes vinhos. O melhor exemplo são os Tintos Frutados.

O QUE FAZ UM TINTO SER FRUTADO? 

QUAIS AS MADEIRAS UTILIZADAS?

Em geral utiliza-se carvalho. Seja francês, americano e em menor quantidade o esloveno. A esmagadora maioria das barricas passam por carvalho americano. Mais barata e que nos transfere os indefectíveis aromas de baunilha e coco. Já carvalho francês, mais raro e mais caro é menos utilizado. Entretanto, os grandes vinhos de guarda passam por eles.

DA TOSTA E DO USO

Outro detalhe que não pode passar em branco é a questão da tosta. Ao elaborar as barricas o toneleiro (profissão de quem as faz) a pedido do produtor pode queimar mais ou menos o interior destas barricas fornecendo diferentes aromas de café, desde o leve até o mais pungente.

Já a questão do uso também vai influenciar nos aromas. Primeiro uso, uma safra. Segundo uso duas safras. Quando mais safras menos atuante é a barrica.

Fiquem com a confecção das barricas. 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s