Um Guia Para Conhecer a Cabernet Sauvignon


UVA CABERNET SAUVIGNON 2

A uva tinta mais plantada no mundo. Pelas suas magistrais características de qualidade, quantidade e adaptabilidade a tornaram uma uva internacional. Não há consumidor de vinhos que não tenha colocado um vinho elaborado com ela na boca.

Entretanto, mesmo possuindo excelentes qualidades de adaptação, como qualquer outra uva nos trás vinhos bem distintos dependendo do terroir, como veremos adiante.

Mas quem ela é? Onde nasceu? Quais são suas principais identidades?

Ela é outra uva de Bordeaux, França. Geneticamente é cruzamento da tinta Cabernet Franc com a branca Sauvignon Blanc. Seu local de nascimento é o Médoc e onde ela alcança seu esplendor por características únicas de terroir. 

FRANÇA MÉDOC WINE MAP

No chamado lado esquerdo do estuário do Gironde encontramos Médoc e suas sub-regiões, entre elas a afamada Margaux. Seu nome em francês arcaico pode-se traduzir como Caves Selvagens pela necessidade de descanso para acalmar os taninos em grande quantidade.

 Muito linda é a história de Médoc. O nome deriva de Middle Country, terra do meio. Os Romanos a chamavam de  Pagus Medulorum. Mas no meio do quê? Era uma terra no meio de duas massas de águas. O oceano Atlântico e o rio Gironde. Era quase inabitada, apenas uma tribo Celta, Medulli, perambulava por lá plantando centeio e outras agriculturas de sobrevivência.

Os Romanos conquistaram a Gália e fundaram Bordeaux, a capital da Gália Aquitânia. E iniciaram a plantação dos primeiros vinhedos na volta de Bordeaux.

Na Idade Média as comunidades religiosas foram instalando-se e, com elas, as vinhas plantadas para a produção do vinho das missas e do dia-a-dia das Abadias e Mosteiros. Os mais famosos Macau, Cantenac, Verthuil, Latour e Blanquefort.

O vinho? O famoso Clarets, muito apreciados pelos ingleses. Incipientes os primeiros vinhedos localizavam-se ao sul de Médoc em terrenos pantanosos e cascalhentos.O grande impulso dos vinhos do Médoc e de Bordeaux por consequência foi o casamento real comentado acima.

Os nobres de Médoc a grande maioria de origem inglesa logo trataram de melhorar os vinhedos, a qualidade dos vinhos e iniciar as negociações com o grande e poderoso mercado britânico.

Os primeiros vinhos que saíram do Médoc levaram o selo: Vinho de Bordeaux (BORDIEUX). Expressão que com o tempo expandiu-se para leste abrangendo a capital, Bordeaux e todas as regiões.

OS SEGREDOS DO MÉDOC

SOLO

Médoc tem no seu rico solo um dos seus segredos. Como disse acima a drenagem do mar nestas charnecas fizeram com que aparecesse o solo de cascalho e pedras ricas em sedimentos. Lembrando que em priscas eras a região era um mar tropical, muito antes da era do gelo. Na formação atual do solo, as camadas mais profundas apresentam características que comprovam esta ideia.

Conchas e sedimentos de mares tropicais compõem a base do solo.Outras camadas de substrato vieram dos sedimentos trazidos pelos afluentes do estuário de Gironde, afluentes do Garone têm suas nascentes nos Pirineus e dali trouxeram o calcário, o fundo vulcânico, os cascalhos, argila e tantos outros que compõem o mágico mosaico do solo de Médoc.

CLIMA 

Depois o clima constante, mesmo estando perto do Atlântico, portanto, poderia estar sujeito aos humores do tempo, por ser um clima marítimo, Médoc fica entre duas massas de água, o mar e o estuário do Gironde garantem a quantidade de chuvas bem reguladas e boa insolação no verão, ao final da maturação dos frutos. 

Os ventos fortes e frios do oceano são freados pela floresta de pinheiros  que serve de anteparo e proteção aos vinhedos, mas permitem a saudável circulação de ar necessária ao bom desenvolvimento das vinhas afastando os fungos e as doenças que poderiam surgir com os verões quentes que há por aqui.

As uvas plantadas com sucesso no Médoc são: A Cabernet Sauvignon é a principal uva do Médoc. O solo pedregoso e frio, mas perfeitamente drenado traz as condições ideais para o desenvolvimento desta casta, principalmente pelas longas raízes que buscam os nutrientes através dos mais variados solos, como vimos. Experimentar um bom exemplar de Médoc com a Cabernet Sauvignon é ver até onde chega esta casta.

Uva vocacionada para estagiar em barricas de carvalho, ao final de seu tempo de maturação temos um vinho com aromas firmes de frutos vermelhos, algo de tostado pelas barricas que passou e na boca um vinho sedoso e muito encorpado.

AS BARRICAS – UM TEMPERO DO VINHO 

Uva de bagos pequenos e casca grossa com excepcional carga de taninos possui maturação tardia. É uma das últimas a serem colhidas. Precisam de muito sol porém com frescor noturno para que possam os taninos, desde as sementes até a casca estarem perfeitamente maduros.

CONHEÇA OS EFEITOS DO TANINO NO SEU VINHO

A melhor caraterística de um Cabernet Sauvignon é quando esta uva alcança sua maturidade ao final do longo período de maturação. Temos uma uva perfeitamente com taninos perfeitamente maduros que servirão de suporte aos belos vinho Estilo Tinto de Guarda. Desta maneira a Cabernet Sauvignon nos proporciona um vinho pleno, “gordo” na boca, taninos presentes e carinhosos.

Já quando não alcança estas caraterísticas temos um vinho que quando elaborado em varietal, isto é, sem acompanhamento de outras uvas, mais ácido, as vezes demasiadamente ácidos, “duros”, isto é, taninos não perfeitamente maduros, aquela sensação de banana verde na boca. Na média de um bom produtor os CS costumam ser mais ácidos e herbáceos no nariz e boca com aquele caraterístico pimentão verde.

ONDE ESTÃO OS MELHORES EXEMPLARES?

Outros terroir para esta casta. Poderia aqui dissertar sobre a Califórnia, EUA, Austrália, Toscana, Itália e tantos outros. Porém, para facilitar falei do berço original da uva, Médoc e falarei do Chile onde ela está perfeitamente adaptada há mais de 100 anos. Para mim a grande uva chilena. Temos Cabernet Sauvignon chilenos para todos os gostos e bolsos. A esmagadora maioria com boa qualidade, além, claro dos ícones para lá de conhecidos como o Casa Real da Santa Rita. Duas regiões logo me vem para exemplo. 

VALE DO RAPEL E MAIPO

Duas regiões chilenas muito conhecidas. Maipo nos arredores da capital Santiago tem clima e solo ideais para a Cabernet Sauvignon. Vinhedos antigos de vinícolas famosas como a Cousiño Macul e Concha Y Toro estão lá e em produção. O vale do Rapel, dividido em Colchagua e Cachapoal logo ao sul de Maipo mantêm as mesmas características que a geografia impõem.

CHILE COLCHAGUA MAPA

O vale do Maipo e Rapel estão localizados entre as duas cordilheiras. A majestosa Cordilheira dos Andes e a essencial Cordilheira Costeira. Neste vale abençoado temos um clima constante, safra a safra pouco muda. Os frios ventos que descem dos Andes ficam represados entre as cordilheiras e recebem da corrente de Humboldt, a mais fria das correntes marinhas que desemboca, exatamente ali, o reforço necessário.

Estes frios ventos refrescam os vinhedos nas noites de verão promovendo o descanso das videiras tão necessário para o lento amadurecimento da uva. Fixando aromas, cores e domando os taninos. Portanto, não perca tempo e faça você mesmo a comparação entre um Cabernet Sauvignon do Médoc e um chileno de estirpe do Maipo ou Rapel e terá uma experiência única. Principalmente para sentir sensorialmente a influência dos dois terroir.

Assim como na música temos as variações de interpretação no vinho, idem.

Ouçam Summertime pela voz de Ella e Janis. Tão diferentes tão fantásticas. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s