De Onde vem a Cor do Seu Vinho?


HARMONIZAÇÃO VINHO ROSE

Na casca das uvas está a origem da cor de seus vinhos, tintos roses. Ali tem um componente químico chamado antocianina, do grego, flor (anthos) azul (ciano). Um flavonóide responsável pelas cores de frutas, flores e folhas que vão do vermelho-alaranjado, ao vermelho vivo, roxo e azul. O sumo (suco) é invariavelmente claro, por isto podemos fazer vinhos brancos de uvas tintas, mas não o contrário. 

Todas as cascas, mesmo as brancas possuem capacidade de passar cor aos vinhos. Seja na maceração prolongada dos brancos em processo de oxidação, aí nos temos os famosos vinhos laranja, seja no rápido contato das cascas tintas com o mosto a ser fermentado, aí teremos os roses da foto ou mesmo no tempo prolongado de contato das cascas com o mosto para os tintos mais escuros.

Poderia terminar aqui a publicação. Ocorre que há várias perguntas que invariavelmente são feitas nas aulas e encontros de vinhos. Por que há tanta variação de cor dos roses? Vamos do alaranjado ao vermelho claro. Por que a tanta variação dos tintos? Desde os insondáveis como uma noite de inverno até o translúcido? Os brancos desde os amarelo-palha até o dourado?

Querem saber? Continuem a leitura.

Algumas básicas considerações podem e devem ser mencionadas. Temos somente duas cores de vinho. O amarelo dos vinhos brancos e o tinto, entretanto várias tonalidades destas cores. Imaginado as cores básicas existentes, vermelho, amarelo e azul assim chamadas porque de sua mistura faz-se qualquer cor, elas porém, não podem ser feitas de misturas. E cada qual destas cores têm várias tonalidades. Desde o amarelo-palha até o amarelo-dourado passando pelo oliva. Os tintos idem. Desde os vermelhos claros até os quase pretos. Os roses idem, desde os alaranjados até os vermelhos claros.

Para uma leitura mais profunda vejam: 

A COR DE UM VINHO E SUAS MENSAGENS 

Vários elementos podem influenciar na tonalidade da cor de seus vinhos.

CORES DO VINHO

ANTOCIANINA: Como vimos este flavonóide presente nas cascas tintas nos trazem a cor vermelha aos vinhos. Entretanto, cada uva tem uma tonalidade de vermelho. Por exemplo, a Cabernet Sauvignon tem uma tonalidade acastanhada. A Merlot vermelho rubi. A Tannat um vermelho escuro quase preto.

Há muita diferença de cor entre as tintas básicas que compõem os roses mundo afora. Pensem nas mediterrâneas Grenache, Mouvèdre e Cinsault, base de quase todos os roses provençais, os mais famosos. Cada qual puxa uma tonalidade de vermelho.

Daí dizer que o rose não tem cor definida, vai desde o tênue rosado até um vermelho claro. Tudo depende da uva e do tempo de contato das cascas com o mosto. Um rose de Cabernet Sauvignon terá uma tonalidade alaranjada. Já o rose de Merlot avermelhada e por aí vamos.

CONTATO DAS CASCAS COM O MOSTO: Mosto é o suco da uva amassada. Quanto mais tempo de contato mais tonalidade escura terá vinho. Seja branco, aí como vimos terá o alaranjado característico. Seja rose do claro ao escuro e seja o tinto, mais ou menos concentrado.

TANINOS: Outro flavonóide presente nas cascas e partes verdes da uva e das barricas caso tenham estagiado por ali os vinhos. O tanino, solúvel em água, leva ao vinho toques castanhos. Nos tintos deixa as bordas com cor de tijolo e nos brancos (barricas) o famoso toque dourado.

PARA SABER DE TANINOS

OXIDAÇÃO: O vinho é feito em ambiente com máxima redução de oxigênio. Pequenas quantidades para que se possa ter vinho ao final da fermentação e da guarda em garrafas ou barricas. Todos os vinhos envelhecem (oxidam) com o tempo. Uns mais outros menos, uns com mais saúde outros menos. Uns queridos para serem assim consumidos depois de algumas décadas de espera, outros saem prontos das vinícolas. Aqui o que nos interessa é que a oxidação dá tonalidades amareladas aos brancos, porém, sem vivacidade. Nos roses fazem perder o brilho que lhes é essencial e nos tintos os toques de telha e laranja nas bordas das taças. 

UVAS TINTÓRIAS: Já ouviu falar? Não? Há uvas neutras de aromas e sabores, mas que possuem um sumo muito escuro como a Alicante Bouschet, por exemplo. Assim um corte desta uva é utilizada na elaboração de tintos sabidamente mais leves de tonalidades, como a Merlot de terroir mais ameno.

INFLUÊNCIA DO CLIMA NO TERROIR 

TÉCNICAS DE ELABORAÇÃO: Sabendo que muitos vêm a qualidade de um tinto pela concentração de cor (tonalidades mais escuras) alguns produtores maceram as cascas, elaboram o mosto e os fermentam em temperaturas mais elevadas possíveis para extrair mais cor e concentração. Assim um Merlot francês da região clássica de Bordeaux que tem uma tonalidade vermelha quase translúcida se torna um tinto poderosamente escuro.

As cores de um vinho é como esta música Uma Balada para um Louco de tanto que podemos falar.

 

Anúncios

4 pensamentos sobre “De Onde vem a Cor do Seu Vinho?

  1. Apaixonante o artigo. Tão especial quanto a BALADA PARA UM LOCO de Piazolla, que ilustra o artigo. Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s