Os Segredos do Casamento entre Vinhos e Queijos


QUEIJOS E VINHOS

Uma das combinações mais corriqueiras é o vinho e o queijo. São elaborados pelo homem há séculos. Formam a cultura do local. Diga-me, das regiões vinhateiras qual a que não tem seu queijo típico?

Estamos para receber amigos de surpresa, logo pensamos nos queijos para harmonizar com vinhos. Sempre tendo em mente que são amigos inseparáveis, certo?  Depende.

Este casamento pode ser perfeito como eivado de problemas, podendo levar ao divórcio. Não gosto de impor regras. Não gosto de transformar o vinho numa bebida do não, muito menos impor regras, porém, há determinadas percepções que devem ser levadas em conta quanto formos combinar queijos e vinhos.

A ver.  Um encontro de queijos e vinhos deve ser um sucesso. Porém, pode ser um verdadeiro desastre se não tomarmos alguns cuidados básicos. Nada de não, mas de atitudes que devem ser evitadas.

O QUE DEVEMOS SABER

A IDADE DOS QUEIJOS: Queijos envelhecidos têm potencializado suas características, sejam de sabores e aromas. Já vinhos antigos é exatamente ao contrário. Quanto mais envelhecido menos impositivo o vinho será. O

SAL DOS QUEIJOS: Os chamados queijos duros aqueles mais secos são em geral os mais salgados. Lembrando que sal e taninos não combinam muito bem. O tanino, veja aqui, teme o sal em excesso.

A  HARMONIZAÇÃO DOS QUEIJOS 

QUEIJOS DUROS: Grana Padano, Emmental, Gruyère, Provolone, são queijos salgados pedem tintos de corpo médio e mais frutados, ao Estilo Tinto Frutado. Ou os vinhos brancos passados em barricas ao melhor estilo Branco Frutado. Se formos combinar com aquele tinto de guarda, como um Malbec Argentino, certamente teremos problemas.

QUEIJOS SUAVES: Os corriqueiros Brie e Camembert, mas prestem atenção na idade do queijo. Quando jovens são quase neutros, quando envelhecidos muito diferentes em aromas e sabores. Se novos novamente os tintos leves e os brancos leves, tal como um vinho verde, um Gamay ou um Pinot Noir leve, por exemplo. Se envelhecidos podemos combinar com um tinto sedoso como um bom Merlot ou com um branco mais encorpado como a Chenin Blanc ou um Chardonnay chileno.

QUEIJOS AZUIS: Aqueles com fungos verdes como o Gorgonzola (o mais conhecido) e Roquefort. A clássica combinação sal + doce teríamos estes queijos com um espumante Moscatel, com um Late Harvest, um vinho de sobremesa. Podemos também optar por um vinho bem seco e levemente ácido como um Jerez clássico.  O que importa nisto tudo é ampliar sua sensibilidade nos casamentos. Entretanto, evitar os desastres anunciados caso algumas advertências sejam ignoradas.

Na harmonia nada melhor que um blues com Albert King.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s