Encontre o seu Tinto Sedoso


TINTOS SEDOSOS

Vamos avançar nos estilos de vinhos tintos. Agora demonstrarei os Tintos Sedosos. São tintos de médio corpo, isto é, lembrando daquela roda da publicação anterior, veja aqui, teremos mais corpo (taninos), acidez média, porém, ainda bem presente e menos imposição aromática que os frutados.

Os aromas mudam. No Estilo Tinto Frutado eram frutos vermelhos, como morangos e cerejas. Agora frutos vermelhos escuros, começando com amoras, mirtilos, compotas de frutas como goiaba, por exemplo. Em alguns casos agregamos os aromas das barricas nos quais estagiaram.

Sim, aqui as barricas começam a surgir. Leia aqui sua função.  Se de primeiro uso (aromas de baunilha), se mais tostada (café) se de segundo uso (aromas de bala toffle) e assim vamos. Outras variáveis interessantes começam, também,  a influenciar neste estilo de vinho e até mesmo requerer atenção e conhecimentos mais aprofundados afim de que saibam exatamente o que está em suas mãos.

Neste estilo de vinho o senhor da vinha começa a se manifestar. Ele é o terroir. Desde a localização dos vinhedos até mesmo as técnicas de elaboração. Leia aqui. 

Vejam o caso da Tempranillo, uma uva que eu considero uma verdadeira coringa entre os Estilos de Vinhos Sedosos, podendo chegar nos Encorpados. Mesmo em regiões clássicas da Espanha, como Rioja, o temos elaborada com as mais variadas técnicas de elaboração e condução dos vinhedos. Vejam a imagem.

TEMPRANILLO RIOJA 

Aqui a temos deste o Estilo Frutado até o Encorpado de Guarda. Mas se a uva é a mesma como podemos ter tantos estilos de vinhos com ela? Pensem na Malbec na Argentina e teremos uma situação muito parecida. Dependendo do cuidado com os vinhedos, sua localização e técnicas de elaboração teremos vinhos com a Malbec que vão do Frutado até Encorpado.

LOCALIZAÇÃO DOS VINHEDOS:

Localização dos vinhedos, veja aqui quanto mais quentes e ensolarados forem os meses finais de maturação da uva mais açúcar teremos. Mais açúcar = mais álcool e menos acidez, mais corpo o vinho terá. Em geral são uvas com mais carga de taninos.  Mais taninos = mais tempo de barrica = mais aproximação com o Estilo Tinto Encorpado. Se os vinhedos estão em locais mais frios nos meses finais de maturação teremos uvas com menos açúcares, menos álcool final, menos corpo e acidez mais elevada.

TÉCNICAS DE ELABORAÇÃO: 

Entretanto, podemos também obter um vinho com as características de regiões mais quentes, mesmo com uvas de regiões frias. Veja o caso dos tintos do Vêneto, Itália. Em geral os Valpolicella são vinhos tintos elaborados com as tradicionais uvas Corvina e Rondinella. Típicos vinhos tintos de regiões de clima mais ameno. Leves e Frutados.

E da mesma região, com o mesmo clima e mesmas uvas podemos produzir um dos gigantes do Estilo Sedoso, o Amarone, leia aqui. Tudo graças ao appasimento das uvas, veja aqui Temos aqui o ganho de açúcar e amadurecimento na uva que jamais teríamos nos vinhedos.

DO ESTILO SEDOSO: Vimos que os Vinhos Sedosos são aqueles que possuem acidez média, ainda mantêm fruta, desta vez lembrando frutas vermelhas mais marcantes, como amoras, mirtilo, compotas de geleias, somado aos aromas das barricas nos quais estagiaram.

O estilo é fortemente influenciado pelo terroir e por técnicas de elaboração. Mesmo com todos estes fatores externos teremos sempre na matriz deste estilo de vinho taninos firmes, porém sedosos.

Lembro que tanino é aquela sensação de banana verde na boca, algo que gruda e agarra na língua. Quanto mais verdes mais áspera será a sensação. Quanto mais maduros mais sedosos serão. Um bom Tinto Sedoso, seja em corte, mistura de duas ou mais uvas ou em varietal, uma só, teremos que buscar sempre esta sensação de harmonia na boca.

Harmonia entre, acidez, fruta, álcool e taninos. Por sorte é o grupo dos Tintos com mais opções de regiões, países, uvas e técnicas de elaboração. Podemos pensar em:

ESPANHA: Um Tempranillo Reserva, como vimos acima de Rioja ou  Ribera del Duero. A Monastrell de Jumilla, Yecla e Murcia. Os vinhos do Priorato, logo acima de Barcelona. A Garnacha de vinhedos antigos do centro do país. 

PORTUGAL: Alentejo e Douro com a sua versão da Tempranillo a Aragonês ou Tinta Roriz, veja.

CHILE: Imagine Colchagua com a Cabernet Franc, Merlot e Carménère. Vinhos clássicos no estilo Tintos Sedosos.

ARGENTINA: A nossa onipresente Malbec. Porém, pensem nos Malbec de Lujan De Cuyo. Terroir perfeito para produção de Tintos Sedosos que acariciam a boca e fazem um bem enorme para a alma.

FRANÇA: Certamente três regiões logo saltam na minha memória para excelentes Tintos Sedosos. A Borgonha, mais especificamente, Côte D’Or e seus esplêndidos Pinot Noir. Sedosos, sedutores e conquistadores vinhos. Depois que arrebatam nossos corações dificilmente poderemos esquecer deles. Também da França os vinhos do Languedoc. Em especial o Rei do Rhône Châteauneuf du pape, leia aqui. Grenache e mais 10 uvas diferentes formam o corte deste vinho Estilo Sedoso. Por fim Bordeaux e seus vinhos com o corte bordalês. Cabernet Franc, Merlot e Cabernet Sauvignon.

ITÁLIA: Como não poderia deixar de ser. O estilo clássico de Tinto Sedoso na Itália é o Chianti, com sua Sangiovese a capitanear as ações. Ou mesmo os vinhos do sul do país, Sicília, Puglia com a Nero D’Avola. Enfim, os exemplos são vários e um melhor que o outro.  

VOCAÇÃO GASTRONÔMICA:

Outro destaque importante deste estilo de vinho é a sua imensa vocação culinária. São vinhos gastronômicos por sua própria essência. Quando pensamos em vocação gastronômica de um vinho tinto temos  que verificar se ele tem acidez e taninos suficientes.

Os pratos na quase totalidade levam sal. Sal se harmoniza com acidez. A acidez também faz com que a cada gole limpemos a boca e a preparemos para novos sabores da harmonização.

Molhos com mais ou menos gordura, nas carnes e molhos. também estão presente corriqueiramente nas nossas casas. Quem se casa com perfeição com a gordura são os taninos, veja aqui. Desta maneira a imensa maioria das versões culinárias que conhecemos no dia-a-dia levam sal e gordura. Podendo ser harmonizados pelos Tintos Sedosos.  A temperatura de serviço fica em torno de 16 a 18 graus para não amargar os taninos nem liberar a volatização do álcool, eis que estes vinhos possuem um percentual que varia de 12,5% até 16% caso dos Amarones.

Escolha um bom prato pegue seu vinho e de fundo musical um Oscar Peterson e Count Basie música harmoniosa e sedosa aos nossos sofridos ouvidos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s