Encontre Seu Estilo de Vinho


GARRAFAS 4

Meu estilo meu vinho. Nós temos estilo para roupas, sapatos, música, culinária e amigos. Então, por quê não para o vinho?

Na série a ser publicada, Meu Estilo Meu Vinho vamos orientar a que você saiba qual é o seu estilo de vinho, quais as uvas, onde eles estão e qual é a melhor harmonização.

Tudo para que não aconteça esta cena com você.  Um apreciador de vinho entra no supermercado,loja especializada ou mesmo na internet e depara-se com um oceano de rótulos. Prateleiras de vinhos separados em países e tipos, se branco, espumante, rose, tinto ou doce (sobremesa).

Uma olhadela daqui, uma dali, alguns rótulos exprimem a(s) uva(s) que foram utilizadas, outros não. Alguns têm o registro de terroir conhecidos outros nem tanto. Vamos nos atrapalhando cada vez mais. Um pedido de ajuda ao vendedor quando há e nem sempre ele está atualizado nos confunde mais ainda.

É ou não é uma realidade cotidiana? Leiam esta publicação que será a primeira de uma série onde irei especificar o que é um estilo de vinho. Quantos existem. Como eles se relacionam com a culinária nas temidas harmonizações. E como eles podem auxiliá-lo a comprar vinhos com mais segurança.

Pois bem, aquele oceano de rótulos podem ser resumidos, basicamente,  em quatro tipos de vinhos: Branco, Rosé, Tinto, Espumante e vinhos doces com o subtítulo dos licorosos.

E nos seguintes estilos.

BRANCOS: REFRESCANTES, aqueles leves, com acidez marcante e aromas cítricos. MÉDIO CORPO, os mais frutados, com equilíbrio entre açúcar e acidez. ENCORPADOS são os brancos que passaram por barricas de madeira, ganham corpo, untuosidade e aromas de frutos secos. AROMÁTICOS, explodem no nariz aromas indo do frutado ao floral.

ROSÉS: LEVES pelo rápido contato das cascas com o mosto, aromas mais delicados algo frutado, algo floral e secos, bem ao estilo provençal. ENCORPADOS aqueles com mais contato das cascas com o mosto ganhando mais taninos e volume na boca, aromas mais impositivos, como morango e melancia.

TINTOS: LEVES E FRUTADOS, menos taninos, mais jovialidade, mais aromas de morango, cereja, alguns goiaba. MÉDIO CORPO, aqueles com mais carga de taninos, porém, ainda aveludados na boca, aromas lembrando mais geleia do que frescor dos frutos, alguns passam por barricas outros, não. DE GUARDA, necessariamente com alta carga de taninos, bom tempo estagiando em barricas, aromas mais fechados no início, abrindo café, tostado, compota de frutas e frutos secos.

Todos estes estilos têm forte influência do terroir, o Senhor da Vinha. Precisamos entender que o terroir é composto de quatro elementos. Solo, geografia (topografia), clima e intervenção humana (cultura da vinha). Esta influencia pode, inclusive, determinar que esta uva ou aquela determinada região produza dois estilos de vinhos.

O solo pode nos trazer um vinho mais mineral nos aromas e na boca, por exemplo.

Na geografia estão os vinhos de altura, por exemplo, que nos trazem grandes diferenças daqueles vinhedos que estão plantados 400 ou 500 metros abaixo.

O clima. No último mês de maturação dos frutos nos teremos a forte intervenção do clima. Se dias mais frios com menos insolação teremos vinhos menos encorpados, com mais acidez e aromas mais cítricos ou herbais. Já os vinhos de clima mais quentes e ensolarados os vinhos terão mais corpo, fruta, menos acidez e aromas mais frutados e florais.

A cultura do vinho se apresenta nas técnicas de produção de um vinho. Se ele passou por barrricas ou não. Nos brancos se ele foi vinificado com as leveduras, enfim, há uma variável interessante a ser estudada. Veremos passo a passo nas próximas edições.

A compra de vinho é uma atividade de risco financeiro. A frustração na compra de um vinho indesejado é diretamente proporcional ao preço pago por ele.

Se o leitor entendeu com a leitura desta publicação que deve encontrar seu estilo de vinho para poder escolher seus vinhos com mais segurança vai entender, também, que não se bebe vinho pela boca dos outros.

Assim recomendo que pense no estilo de vinho que mais o agrada e passe a entender mais sobre as uvas deste estilo, as regiões, os produtores e assim começará com passos firmes no mundo do vinho.

Vamos na sequência falar detalhadamente cada estilo de vinho. Onde, no mundo eles estão, quais as uvas e harmonizações

Meu estilo de música depende do meu dia. Hoje um blues originalíssimo de Big Mamma. Harmoniza com um bom Merlot do Colchagua, Chile. Firme, forte e harmônico.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s