Amarone – O gigante do Vêneto


ITÁLIA AMARONE 2

Nestas esteiras repousam as uvas Corvina, Rondinela e Molinara. Todas tintas  e nativas do Vêneto no norte da Itália, capital do antigo reino de  Veneza que compunham as Tre Venezie. A Veneza Giulia, hoje o Friuli, Veneza Trentina, hoje o Trento e a Veneza, capital do Vêneto.

Ali, com a técnica da desidratação das uvas em esteiras, criou-se um vinho mítico, o Amarone.

Na região do Vêneto temos as tintas Corvina, Rondinella e Molinara, entre as principais. Nas brancas a Glera, que nos traz os Proseccos, principalmente, do Valdobbiadene, a Garganega  e a Trebbiano.

Um dos tintos mais famosos e de competência duvidosa, os que chegaram ao Brasil na década de 90 eram os Valpolicella. Bem a dúvida quanto à qualidade dos vinhos tintos do Vêneto que chegavam por aqui, termina no Amarone.

O Amarone é um show. Um vinho mítico elaborado de maneira muito especial.

AMARONE 1

Mas interessante é a técnica do arrasa quarteirão, o Amarone de Valpolicella.

Nele utiliza-se uma técnica toda especial. Primeiro as uvas são naturalmente desidratadas em prateleiras ou esteiras. Assim que completa a desidratação desejada vão para os tanques de vinificação. O mosto das uvas não desidratadas é colocado junto com a porção desidratada, a gosto do enólogo, e ali ficam em contado prolongado.

O resultado? Um vinho mais alcoólico que o normal, algo em torno de 15 a 17%. Na boca um certo doce amargo, daí o nome Amarone, lembra, em certos casos, um chocolate amargo. Nariz de frutos vermelhos e frutos desidratados. Um vinho inesquecível.

RIPASSO

Este é um Valpolicella que “repassa” nas borras do tanque do Amarone. Traz algumas características do Amarone, mas não se confunde com ele. Aliás, nem é para se confundir. O Ripasso é feito para ser ele mesmo. Um vinho agradável, de médio para alto corpo, aromas marcantes, mas sem a explosão dos Amarones.

RECIOTO

Por fim temos o Recioto Di Amarone que um passito, vinho de sobremesa ao estilo Amarone.

A técnica do Amarone:

Vinho: VALPOLICELLA ou VALPOLICELLA CLASSICO
UVA MADURA -> COLHEITA -> FERMENTAÇÃO + MACERAÇÃO -> (Vinho Seco) DEGRADAÇÃO MALOLÁTICA -> ESTABILIZAÇÃO (COLAGENS E FILTRAÇÃO) -> ENGARRAFAMENTO.

Vinho: AMARONE DELLA VALPOLICELLA
UVA MADURA -> COLHEITA -> PASSIFICAÇÃO -> FERMENTAÇÃO + MACERAÇÃO -> (Vinho Seco) DEGRADAÇÃO MALOLÁTICA -> ESTABILIZAÇÃO E ESTÁGIO -> ENGARRAFAMENTO

Vinho: RECIOTO DELLA VALPOLICELLA
UVA MADURA -> COLHEITA -> PASSIFICAÇÃO LONGA -> FERMENTAÇÃO + MACERAÇÃO -> (Vinho Doce Natural) DEGRADAÇÃO MALOLÁTICA -> ESTABILIZAÇÃO E ESTÁGIO -> ENGARRAFAMENTO

Vinho: VALPOLICELLA RIPASSO
UVA MADURA -> COLHEITA -> FERMENTAÇÃO + MACERAÇÃO -> (Vinho Seco) MACERAÇÃO SOBRE BAGAÇO PROVENIENTES DA FERMENTAÇÃO DO AMARONE E/OU RECIOTO -> DEGRADAÇÃO MALOLÁTICA -> ESTABILIZAÇÃO E ESTÁGIO -> ENGARRAFAMENTO

Este vinho está muito bem acompanhado por Webster e seu mágico sax.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s