FILOXERA – A PRAGA QUE MUDOU OS RUMOS DO VINHO


FILOXERA

A chamada Filoxera é uma praga que ataca as raízes e folhas de um vinhedo. Detectada nos Estados Unidos no ano de 1854. É um pulgão que se alimenta das raízes da videira abrindo espaços que serão preenchidos por fungos matando-a em três a quatro anos.

Levada para a Europa rapidamente dizimou videiras centenárias pondo em pânico regiões produtoras como o Douro, Bordeaux, Provence, Borgonha e outras. Alterando profundamente o mapa do vinho durante 50 anos. Franceses, os mais afetados foram obrigados a transferir seus vinhedos para outros locais da Europa, como a Espanha.

Descobriu-se, mais tarde que nem todas as videiras eram atacadas pelo Pulgão. As videiras americanas eram fortemente resistentes, mesmo que o ciclo começasse não terminava. E as videiras europeias de Vittis Vinifera as mais afetadas.

O solo também tem muita importância. Solos francamente arenosos não permitiam que a Filoxera se instalasse. Os vinhedos ali localizados nunca foram afetados, como Colares, entre a Serra de Sintra e o Atlântico, em chão de areia, por exemplo, nunca foi afetada pela Filoxera.

A videira americana é super resistente ao pulgão iniciou-se o replantio das videiras em solo afetados, mas com o sistema de enxertia.O enxerto e o porta-enxerto precisam ser do mesmo diâmetro, porque o primeiro se encaixa no segundo. Corta-se o garfo (que é o enxerto) de maneira bem precisa, na forma de V, e ele é encaixado no porta-enxerto. Uma das desvantagens dessa técnica é que o porta-enxerto não pode ser muito velho.

Com o garfo dentro do porta-enxerto, se amarra com uma espécie de corda. Deve-se cortar todos os galhos do porta-enxerto, deixando só dois ou três, para deixar o enxerto “respirar”, caso a técnica seja feita no campo

Resolvido o problema, hoje todo e qualquer vinhedo novo certamente tem na sua base a videira americana e no enxerto a uva que se quer.

Dizem que no Chile não há notícia do Pulgão. Assim nunca teria sido atacada por esta praga. Assim falam porque o país tem enormes barreiras naturais, como os Andes de um lado e de outro o Pacífico. Não acredito nesta ideia, creio ser mais marketing do que verdade. Impossível com todos os  navios chegando e saindo, mudas importadas estaria livre da praga.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s