A CLASSIFICAÇÃO DOS VINHOS ALEMÃES – NÃO É O TORMENTO QUE PENSAM


ALEMANHA CLASSIFICAÇÃO VINHOS

Para muitos a mais complicada das classificações. Primeiro pela língua germânica, indecifrável para muitos. Segundo porque eles classificam pela doçura dos frutos. Isto é pelas uva mais maduras as menos. Depois consideram, com justa razão, as melhores as mais maduras.

Vamos a uma breve ideia.

CLASSIFICAÇÃO DOS VINHOS ALEMÃES

Do mais simples ao mais sofisticado.

TAFELWEIN: Literalmente, vinhos de mesa, assim como o são em qualquer lugar do mundo.

LANDWEIN: Literalmente, vinhos da terra. Pode-se dizer que estão um degrau acima do Tafelwein.

QUALITÄTSWEIN BESTIMMTER ANBAUGEBIETE (QbA): Vinhos de qualidade superior. Mais um degrau acima.

QUALITÄTSWEIN MIT PRÄDIKAT (QmP): Vinhos de qualidade superior com predicados. Aqui subdivisões importantíssimas para o conhecimento dos vinhos alemães.

Estarão nos rótulos estas palavras junto com informações que os europeus normalmente fazem. Não colocam a uva, mas sim o lugar de onde vieram as uvas.

PELO ÍNDICE DE AÇÚCAR E ÁLCOOL

Lembrando que o açúcar, sempre, será o açúcar natural da uva. Que pelo processo fermentativo será transformado em álcool, aromas e Co2.

KABINETT: Vinhos leves e refrescantes com baixo teor de álcool.

SPÄTLESE: Pode ser traduzido como uvas atrasadas. Uvas de colheita tardia, portanto vinhos estilo sobremesa.

AUSLESE: Seleção. Vinho de qualidade com uvas quase em estado passa.

BEERENAUSLESE (BA): Seria a seleção dos Auslese. Vinhos de colheita tardia de alta qualidade. Podem em casos ser atacados pela Botrytis Cinerea que alcança os vinhedos em safras especiais.

TROCKENBEERENAUSELE (TBA): Estes alemães complicam quando juntam as palavras. Temos. Trocken (seco) Beeren (berries=frutos vermelhos) Auslese uvas em estado de uva passa. Aqui a diferença fica por conta que são uvas totalmente afetadas pela podridão nobre. A Botrytis Cinerea um fungo que surge na época da colheita e atinge os vinhedos que estão situados em locais úmidos e quentes. O fungo fura a casca das uvas desidratando-as. Concentra açúcar nos trazendo um vinho divino.

EISWEIN: O Eiswein, literalmente vinho do gelo. Uvas colhidas à noite já tendo passado o tempo da colheita tardia. A neve congela os bagos das uvas e elas são processadas assim mesmo. Os cristais de gelo desidratam naturalmente as uvas e a concentração de açúcar natural é alta. Vinhos muito especiais.

O que posso falar é que a Alemanha tem muito a nos contar com esta revolução feita nos vinhedos, na qualidade das uvas e, por que não dizer, a uma confirmação de estilo. Brancos leves e refrescantes, alguns com belas condições de guarda em garrafa. Tintos de médio corpo e sedosos, muitos elaborados com a Pinot Noir que lá atende pelo nome de Spätburgunder.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s