GRÉCIA SEUS VINHOS E SUA HISTÓRIA


GRÉCIA

Grécia, início de toda a história da cultura e civilização ocidental. Primeiro eles, depois os Romanos a difundi-la. Só lembrar o radical latino Vinum, talvez no mundo ocidental, poucos países não usam este radical para falar vinho.

A influência grega não para só no nome ou nas divindades antigas como Dionyssus (Baco), também técnicas de plantio e uvas nativas da Grécia fora espalhadas pelo ocidente.

É de se entender que os egípcios tinham a cerveja como bebida corrente, o vinho era para festas de divindades e remédio.

Os gregos é que iniciaram o consumo diário da bebida, tanto como remédio, prazer e devoção ao Deus Dionyssus, filho de Zeus e Semeli. Assim com os Romanos a ideia de devoção ao Deus do vinho somente trocou de nome passou a ser Baco e cada canto da Europa dominada por eles tinha algum resquício destas festas e dos vinhedos a ele dedicados.

Data do século 3 A.C os primeiros vestígios de equipamentos, lagares e outros utensílios utilizados para a produção do vinho na Grécia, na ilha de Creta.

E também foram os primeiros exportadores do líquido precioso em ânforas lacradas. Foram encontradas algumas destas ânforas em Pompéia.

Uvas tidas como italianas, na verdade sempre foram gregas, como as Malvasia, as Moscatéis, Aglianico e Grego di Tuffo.

Depois as Cruzadas, as viagens da Seda, enfim, os vinhos gregos foram se alocando em todas as partes da Europa vinhateira.

Para não alongar dois exemplos claríssimos da influência do vinho grego no mundo de hoje. A Malvasia, uva bastante comum na Europa mediterrânea, nas ilhas de Portugal e no Brasil, tem sua origem na cidade fortaleza de Monemvassia, no sul da região do Peloponeso, ali existia um vinho doce com esta uva. Os Venezinos, senhores absolutos do Mare Nostrum (Mediterrâneo) vendia este vinho na Europa. Depois com o tempo trouxeram esta casta para Itália e continuaram a produzir este vinho.

Outro exemplo é o Vin Santo(rini), vinho doce elaborado com uvas desidratadas no vento. Vinho típico de Santorini. Os venezianos também os traziam de lá, até que começaram a aplicar esta técnica na Itália dando origem ao famoso Vin Santo.

Nos tempos atuais os vinhos gregos nas últimas décadas tem melhorado muito. Antigas castas foram revitalizadas, novas regiões foram descobertas e um toque de modernidade foram dados aos seus vinhos ancestrais.

Principais uvas: Savatiano, Roditis, Muscats, Moschofilero, Vilana e Assyrtiko. Tintas: Agiorgitiko, Xinomavro, Mandelaria e Kotsifali.

Regiões: Macedônia, Épiro, Tessália, Sterea, Ellada, Ploponeso, Aegean Islands e Ilhas Jônicas.

Logo mais as regiões com detalhes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s