A SAGA DO VINHO BRASILEIRO


TAÇA CHARDONNAY

Primeiro toma uma taça de Chardonnay que vamos conversar, numa série de posts sobre o vinho brasileiro. E ele não se resume ao espumante que já é um vinho reconhecido internacionalmente.

A produção não fica só nas bolinhas. Temos vinhos brancos, roses e tintos de grande qualidade. Temos, como em qualquer outro lugar no mundo, vinhos simples ou ainda, vinhos caros de duvidosa qualidade.

Este blogueiro resolveu publicar a saga do vinho nacional e dos pequenos e preciosos produtores, que estão a esmerar-se na excelência de seus produtos com muita tecnologia, descoberta de terroir específico para cada uva e alguns com produção limitada.

Regiões como o vale do São Francisco, serra catarinense, serra do sudeste e campanha, no Rio Grane do Sul, entre outras, começam a investir pesadas somas para alcançar e colocar no mercado vinhos excelentes.

A uva Merlot já tem encontrado lugar seguro no Rio Grande do Sul.

Os brancos que tenho apreciado um melhor do que o outro. A Sauvignon Blanc já produz vinhos de qualidade mundial na serra catarinense. A Chardonnay no Rio Grande do Sul já é uma certeza absoluta de vinho agradável.

O que se precisa quebrar é este preconceito contra o vinho nacional. Assim como outras regiões produtoras de vinho, a uva, desde a videira, está sendo, para usar uma palavra da moda, repaginada, para garantir vinhos interessantes. Mais, muitos produtores estão optando por produção limitada de seus vinhos o que os tornam verdadeiras joias engarrafadas. Mas como é vinho nacional muitos consumidores não conseguem enxergar esta qualidade e singularidade a de se produzir poucas garrafas a cada safra.

Vamos falar da Angheben e seu vinhos de garagem, por exemplo, o vinho com a uva piemontesa Barbera, de produção limitada. Dito aqui poucos se importam. Mas, , se fosse vinho estrangeiro já estariam a falar, pessoal comprei um vinho cujo produtor só colocou pouquíssimas garrafas no mercado.

Mas não cometam o erro de muitos de compará-lo com vinhos estrangeiros, as vezes de outras uvas e certamente outros terroir. Vamos compará-los aos seus iguais. Vinhos brasileiros se compra com vinhos brasileiros e ponto final.

Claro que tem aqueles produtores que já estão vendendo vinho nacional a preços proibitivos a maioria dos bolsos brasileiros, mas estes são um capítulo a parte. Vamos nos concentrar em deixar de lado preconceitos e apreciar, comprar, conversar e saber um pouco mais da luta deste produtores para lançar no mercado seus vinhos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s